Vale regride para a fase vermelha, com fechamento do comércio por 15 dias

Sindicato ficará fechado nesse período; Região atingiu 100.000 casos de Covid-19 com UTIs lotadas; Pinda chega a 150 casos em 24h e total de 93 mortes

Atualização do Plano São Paulo apresentada nessa sexta-feira, dia 22, em coletiva de imprensa pelo Governo de São Paulo

Na próxima segunda-feira, dia 25, a região metropolitana do Vale do Paraíba entrará na fase vermelha, a mais dura do Plano São Paulo, com fechamento de comércios e serviços não essenciais.

Veja também: Sindicato participa de coletiva de imprensa que vacinou os primeiros profissionais da saúde

A região tem cerca de 101,6 mil casos identificados de Covid-19. Mais de 25 mil deles foram confirmados só este mês. Nas últimas 24 horas, ao menos 31 pessoas morreram na região. No estado, a contagem é de um óbito a cada seis minutos.

Além da região de Taubaté, também regrediram de fase as regiões de Barretos, Bauru, Franca, Marília, Presidente Prudente e Sorocaba.

As demais, incluindo a Grande São Paulo, ficarão na etapa laranja, mas com restrições da vermelha em dias úteis, após as 20h, e integralmente aos finais de semana.

A direção do Sindicato dos Metalúrgicos informa que seguirá a determinação do Governo do Estado. Sendo assim, a sede, a subsede de Moreira César e o Clube de Campo estarão fechados a partir de segunda-feira, dia 25, até o dia 7 de fevereiro, que é o prazo determinado para vigorar a fase vermelha.

O atendimento para denúncias e reclamações poderá feito diretamente para os dirigentes sindicais, também pelo site sindmetalpinda.com.br/denuncia e pelas redes sociais na página da entidade facebook.com/sindmetalpinda.

Como anunciado pelo governo em coletiva de imprensa, dentro desses 15 dias a região não poderá avançar para a fase laranja.

No boletim de sexta-feira, dia 22, Pinda registrou 96% de ocupação dos leitos de UTI, mais 2 óbitos e 152 casos em um dia. Ao total, são 5.482 casos de Covid e 93 mortes no município.

O secretário geral do Sindicato, Odirley Prado, reforça o pedido para que a população tome os cuidados de prevenção ao Covid.

“Pinda está praticamente sem leitos, Taubaté e várias outras cidades também. A vacinação começou, mas ainda vai demorar para chegar a todos. Estamos no ponto mais crítico da pandemia pela agressividade do avanço da doença. Assim como na cidade toda, temos notado o aumento do número de casos também com metalúrgicos. O sindicato vai continuar atuando junto às fábricas sempre pensando na preservação da vida dos trabalhadores”, disse.

A fase mais rígida só permite o funcionamento normal em setores essenciais como farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria.

Demais comércios e serviços não essenciais, como comércio de rua e shoppings, bares, restaurantes, salões de beleza e cabeleireiros, academias e centros esportivos, não poderão abrir.

DECRETO MUNICIPAL

A Prefeitura de Pindamonhangaba publicou no sábado, dia 23, novo decreto, seguindo o que foi determinado pelo Plano São Paulo. Somente poderão abrir os estabelecimentos considerados essenciais e os demais devem permanecer fechados ou atender por meio de delivery. O decreto pode ser conferido no site da Prefeitura, clicando no link: https://www.pindamonhangaba.sp.gov.br/coronavirus/decretos. A determinação tem validade para todos os dias da semana e horários, até o dia 7 de fevereiro, quando o Estado deve publicar um novo decreto.
Confira no quadro abaixo quais são os serviços considerados essenciais pelo Governo Federal: