Negociação melhora troca de dias pontes na Westfalia

Categoria aprovou proposta em assembleia

Categoria aprovou proposta em assembleia

Os trabalhadores da WestFalia aprovaram em assembleia no dia 28 de fevereiro uma proposta melhor para a troca de dias pontes na empresa.

Para folgar em três dias pontes (3 de março, 2 de maio e 20 de junho), a direção da empresa queria que os funcionários trabalhassem em três sábados, cuja jornada tem adicional de 50% de hora-extra.

Em negociação, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT conseguiu reduzir para apenas dois sábados, ainda a serem definidos.

Segundo o dirigente sindical Luciano da Silva, o “Tremembé”, essa negociação serve de parâmetro para outras fábricas.

“Geralmente, as empresas grandes trocam dias normais por dias a 50%. Elas praticamente obrigam o trabalhador a assinar a lista aceitando essa condição. O sindicato sempre reivindica uma troca justa, com horas equivalentes, mas elas não acatam. A própria lista é algo que somos contra porque sabemos que ela é feita com pressão da chefia. O ideal é negociação com o sindicato e a assembleia”, disse.

Os dirigentes sindicais Luciano da Silva - "Tremembé" e Gilson Leandro - "Chupeta"

Os dirigentes sindicais Luciano da Silva – “Tremembé” e Gilson Leandro – “Chupeta”

 

Histórico. Entre as melhorias já negociadas na WestFalia, Tremembé citou a implantação do convênio médico. A próxima etapa é o convênio odontológico, que deve ser negociado até o meio do ano.

“Eles (funcionários) têm todos os benefícios e uma coisa que também serve de parâmetro para outras empresas – o salário inicial é muito maior do que o piso da convenção coletiva, e é isso que anima os trabalhadores”, disse.

Segundo ele, a fábrica está em processo de expansão. Um terreno ao lado já foi adquirido, logo devem chegar novas máquinas da Alemanha e novas contratações devem ocorrer.