Trabalhadores da Gerdau resistem e greve chega ao 4º dia

Nova assembleia aprova continuidade da greve pelo 4º dia; nova assembleia deve ocorrer só na terça-feira

Nova assembleia aprova continuidade da greve pelo 4º dia; nova assembleia deve ocorrer só na terça-feira

Os trabalhadores da Gerdau decidiram em assembleia manter a greve que entrou no seu 4º dia nesta segunda-feira, dia 6.

Uma reunião entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT e a direção da Gerdau estava prevista para esta manhã, mas foi cancelada. A empresa alegou ao sindicato que faria uma reunião no escritório central da fábrica, em São Paulo. Uma nova reunião com o sindicato é aguardada para o período da tarde, mas ainda não foi confirmada.

De acordo com o presidente do sindicato, Renato Marcondes – Mamão, os trabalhadores do turno da manhã votaram novamente retornaram para suas casas, o que deve ocorrer também no turno da tarde. Se houver nova proposta, uma nova assembleia só deve ocorrer na manhã desta terça-feira.

Segundo o secretário de comunicação da entidade, Benedito Irineu, desde o primeiro dia, o sindicato tem respeitado a legislação e liberado as funções essenciais, como médicos do trabalho, técnicos de segurança, e alguns funcionários necessários para manter os fornos aquecidos e assim não quebrem. A produção permanece paralisada.

A Gerdau emprega cerca de 2.200 trabalhadores da fabricação de laminados a aço.

Desde sexta-feira, direção mantém acampamento 24 horas pelas várias portarias da fábrica; mesmo no domingo de eleição sindicalistas se revesaram para garantir sucesso do movimento

Desde sexta-feira, direção mantém acampamento 24 horas pelas várias portarias da fábrica; mesmo no domingo de eleição sindicalistas se revesaram para garantir sucesso do movimento