Paralisação conquista reajuste salarial na Suvifer

Fornecedora de sucata para a Gerdau também fará as adequações de segurança e dará estabilidade de emprego

Os trabalhadores da Suvifer aprovaram nessa terça-feira, dia 9, a proposta apresentada pela empresa após paralisação e ameaça de greve contra a falta de pagamento do reajuste salarial do ano passado.

A empresa aceitou pagar o reajuste de 5% no próximo dia 20 e regularizar o retroativo dentro de 90 dias. Ela também se comprometeu em fazer as instalações de segurança, inibir as práticas de assédio moral e reavaliar a redução que fez na cesta básica.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, André Oliveira – Andrezão, a negociação também garantiu estabilidade de emprego para todos os funcionários por três meses.

“Tinha uma tensão enorme aqui. A empresa não aceitava conversar, tratava mal os funcionários, só dizia que não podia pagar nada. Nós pegamos todos os dados que os trabalhadores nos passaram, que mostram que a produção está alta, que tem atingido todas as metas, e fomos discutir com a empresa. Mas o que abriu essa negociação e alcançou o resultado foi a mobilização do pessoal junto com a gente”, disse Andrezão.

A Suvifer emprega 43 trabalhadores na preparação de sucata para fábricas metalúrgicas. Ela tem a Gerdau como principal cliente e fica no distrito industrial do Feital.