Mulheres: Construindo história, protagonismo e lutando contra retrocessos

Atividade debateu papel das mulheres na sociedade e no movimento sindical

(foto Marina Selerges)

(foto Marina Selerges)

A FEM-CUT/SP (Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP) realizou no último dia 29 o debate “Mulheres: Construindo história, protagonismo e lutando contra retrocessos”.

O evento, organizado pela Secretaria da Mulher, faz parte da comemoração dos 25 anos da FEM-CUT/SP e também do mês de luta das mulheres.

Reunidos na sede da entidade em São Bernardo do Campo, cerca de 100 pessoas debateram temas relacionado às mulheres na política, no movimento sindical e também as reformas trabalhista, previdenciária e o projeto de terceirização, aprovado na última semana na Câmara dos Deputados, e suas contribuições para a piora da vida das mulheres trabalhadoras.

A diretora do Departamento da Mulher do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, Maria Auxiliadora, esteve à frente de um dos debates do evento. “Em Pinda fizemos e estamos fazendo intensos protestos contra essa Reforma da Previdência. Eu faço questão de falar disso, porque além de tudo, essa proposta ignora a dupla, às vezes tripla, jornada que a mulher tem. Essa proposta iguala a idade de aposentadoria para homens e mulheres. Somos contra e isso tem que ficar bem claro para a população”, disse Maria.

Maria Auxiliadora, diretora do Departamento da Mulher (foto Marina Selerges)

Maria Auxiliadora, diretora do Departamento da Mulher (foto Marina Selerges)

Andrea Sousa, secretária da Mulher na FEM-CUT/SP, denunciou a gravidade dos ataques do governo golpista ao conjunto da classe trabalhadora. “O atual cenário político ataca todos os trabalhadores e trabalhadoras brasileiras, porém é importante destacar que ataca ainda mais a vida das mulheres. Ganhamos, em média, 30% menos que os homens, mesmo executando a mesma função.”

Diante à série de ataques contra a classe trabalhadora, a reação dos dirigentes sindicais têm sido construir a resistência. “Nós estamos completando 25 anos de lutas e isso demonstra maturidade e também aponta a necessidade de resistir nesse momento adverso. Esse momento deve ser de muita resistência”, alertou Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente na FEM-CUT/SP, que também aproveitou para destacar a presença masculina no evento organizado pelas mulheres.

A atividade também contou com a participação de técnicos do Dieese, da vereadora Janete Pietá e do deputado estadual Teonílio Barba.

Veja a reportagem completa: Mulheres: Construindo história, protagonismo e lutando contra retrocessos

Fonte: Agência de notícias da FEM-CUT/SP

foto Marina Selerges

foto Marina Selerges