Metalúrgicos de Pinda aprovam comunicado de greve aos patrões

13.09.13 Metalúrgicos de Pinda aprovam comunicado de greve aos patrões

Os metalúrgicos de Pinda reprovaram em assembleia nessa sexta-feira, dia 13, a proposta dos patrões para o aumento salarial e já aprovaram a entrega do comunicado de greve por uma melhor proposta.

A inflação no período da data-base (1º de setembro) fechou em 6,07%.

As fábricas da base do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba pertencem aos grupos 2, 3 e 8. As propostas das bancadas patronais desses grupos já haviam sido rejeitadas pela própria Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT em São Paulo (FEM-CUT/SP) na mesa de negociação.

Veja as propostas que foram rejeitadas pelos metalúrgicos de Pinda em assembleia geral no sindicato:

 

Grupo 2 (máquinas e eletrônicos – Confabs, Oversound, Hton, entre outras)

Reajuste escalonado – por 2 anos

6.07% em setembro/13 + 0,5% de Aumento real em março/14

INPC em setembro/14 + 0,5% de Aumento real em março/15

 

Grupo 3 (autopeças – Bontaz e West Falia)

6,8% sendo que 6, 07% de INPC + 0,69% de Aumento Real

 

Grupo 8 (laminação, trefilação, entre outros – Gerdau, Novelis, Bundy, entre outras)

7,66% sendo que 6,07% de INPC + 1,5% de Aumento Real a ser aplicado em janeiro/14

Para o presidente Renato Mamão, as propostas dos patrões parecem mais uma provocação aos trabalhadores

Para o presidente Renato Mamão, as propostas dos patrões parecem mais uma provocação aos trabalhadores

 

O presidente do sindicato, Renato Marcondes de Oliveira, “Mamão”, chamou a categoria para aderir às mobilizações que devem ocorrer nos próximos dias.

“Essas propostas parecem até uma provocação dos patrões. Somente com mobilização podemos pressionar eles a apresentarem uma proposta que valorize os trabalhadores. Este é o momento mais importante para a categoria. A hora de mostrar mobilização é agora”, disse Mamão.

 

Compuseram a mesa o secretário geral, Herivelto Vela, o advogado trabalhista Alison Montoani, o presidente Renato Mamão e o tesoureiro Sérgio da Silva

Compuseram a mesa o secretário geral, Herivelto Vela, o advogado trabalhista Alison Montoani, o presidente Renato Mamão e o tesoureiro Sérgio da Silva

Hora-extra. O sindicato alerta aos trabalhadores que fazer horas extras em período de campanha salarial prejudica as negociações. Por isso, pede aos metalúrgicos que evitem ao máximo trabalhar além da jornada normal nos próximos dias.

As horas extras possibilitam aos empresários, especialmente em época de negociações coletivas, fazer estoque de produtos ou antecipar a entrega de pedidos. Com isso, os protestos e paralisações de trabalhadores têm efeito reduzido.

 

O companheiro Carlos José de Melo, "Carlão", da assessoria da subsede da CUT Vale do Paraíba, esteve presente na assembleia para demonstra apoio da CUT e também trazer um abaixo-assinado pela democratização da comunicação

O companheiro Carlos José de Melo, “Carlão”, da assessoria da subsede da CUT Vale do Paraíba, esteve presente na assembleia para demonstra apoio da CUT e também trazer um abaixo-assinado pela democratização da comunicação