Metalúrgicos conquistam abono e dobram vale-alimentação na Tecpar

Categoria aprova abono de R$ 1 mil e aumento de 100% no vale-alimentação (Crédito: Herivelto - Vela)

Categoria aprova abono de R$ 1 mil e aumento de 100% no vale-alimentação (Crédito: Herivelto – Vela)

Os trabalhadores da Tecpar aprovaram em assembleia na sexta-feira, dia 10, a proposta da Campanha Salarial deste ano.

A proposta é de um abono salarial de R$ 1 mil com pagamento no dia 14 de outubro. Sobre o aumento salarial, a empresa irá fazer o reajuste da inflação na próxima folha de pagamento, retroativo à data-base da categoria, de 1º de setembro. O aumento real continua sendo negociado entre a FEM-CUT/SP e a bancada patronal do Grupo 8.

Segundo o dirigente sindical Gerilson Vieria – Dê, além do abono salarial, o acordo negociado pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT dobrou o valor do vale-alimentação, que subiu para R$ 300. Ao longo de um ano, essa diferença irá somar R$ 1.800 a mais para cada trabalhador.

“Mesmo sendo uma empresa independente da Gerdau, os companheiros aderiram à paralisação de uma hora no dia 15 de setembro, antes da greve, e isso teve peso na negociação. E mesmo a Tecpar sendo uma empresa de desenvolvimento tecnológico, e assim suas atividades são de longo prazo, cada mobilização é importante”, disse.

O secretário geral do sindicato, Herivelto Moraes – Vela, também participou das negociações com a Tecpar. A fábrica emprega cerca de 200 trabalhadores no desenvolvimento do ferro gusa, principal matéria-prima do aço.