Cocepelco assume direção da Nobrecel e gera 1.150 empregos para Pinda e região

Trabalhadores de Pindamonhangaba assumem controle de indústria, têm empregos de volta e reiniciam produção de papel. Arrendamento do parque fabril da Nobrecel ainda beneficia economia da cidade, do estado e do Brasil

Cooperados junto ao desembargador do Trabalho da 2ª Região, Sérgio Pinto Martins, durante encontro na Câmara Municipal de Pinda (Crédito Odirley Pereira)

Cooperados junto ao desembargador do Trabalho da 2ª Região, Sérgio Pinto Martins, durante encontro na Câmara Municipal de Pinda (Crédito Odirley Pereira)

 

A Cocepelco (Cooperativa de Trabalho em Celulose e Papel Coruputuba) conseguiu na tarde de terça-feira (3 de dezembro) a autorização da Justiça para assumir a falida Nobrecel, em Pindamonhangaba. O processo com a decisão judicial é o 764-92.2012.8.26.0445 da Terceira Vara Civil de Pindamonhangaba.

Com o arrendamento do parque fabril da centenária indústria, a Cocepelco restabelece os trabalhos para mais de 1.150 pessoas de Pindamonhangaba e região do Vale do Paraíba, sendo aproximadamente 250 cooperados diretos e mais de 900 empregos indiretos.

Cerca de 100 cooperados vão reiniciar os trabalhos nos setores de manutenção, administração e segurança da fábrica nos próximos dias. “Primeiro faremos a manutenção do maquinário, de todas as peças, e a averiguação dos setores da indústria. Depois que acertarmos tudo, chamaremos o restante dos cooperados”, explicou o presidente da Cooperativa, Toledo.

Ele afirmou que o controle da fábrica é fundamental para manutenção dos empregos para centenas de chefes de família e para o desenvolvimento econômico da região. “É um grande sonho para todos nós. Estamos adquirindo o direito de administrar, de trabalhar e de cooperar com todos nós e com o Brasil. É um dia histórico”.

O presidente destacou as parcerias que foram consolidadas durante o processo. “Tivemos o apoio de várias instituições, como a Prefeitura, a Câmara, a Unisol, a Fetrabrás, o BNDES, os governos Federal, Estadual, e também do Ministro do Trabalho, Desembargador do Trabalho, do Sindicato dos Metalúrgicos de Pinda, dos parceiros comerciais, outras cooperativas, além de toda a sociedade de Pindamonhangaba e região”.