Campanha de doação de sangue atinge meta no Araretama

66 pessoas participaram da campanha no Centro Comunitário do Araretama

66 pessoas participaram da campanha no Centro Comunitário do Araretama

A campanha “Doando Sangue pela Vida”, realizada em Pindamonhangaba nessa segunda-feira, dia 9, praticamente atingiu a meta para o dia. A coleta foi realizada pelo Hemonúcleo de Taubaté no centro comunitário do bairro Araretama.

Segundo a assistente social do hemonúcleo, Sonia Andrade, foram 46 doações concluídas de 66 pessoas que compareceram ao local, ou seja, 20 não puderam doar. “A diferença ocorre porque algumas pessoas não estão na condição física ideal, por isso é importante um bom número de participantes para garantir a quantidade necessária. Mas a meta foi atingida, esse número está dentro do esperado. Agradeço a todos”, disse Sônia.

O diretor de Ação Social do sindicato, “Serrinha”, a coordenadora da Associação Gente Feliz, Zélia Nascimento, e a assistente social do hemonúcleo, Sonia Andrade, durante ação social realizada no domingo para reforçar o convite da campanha

O diretor de Ação Social do sindicato, “Serrinha”, a coordenadora da Associação Gente Feliz, Zélia Nascimento, e a assistente social do hemonúcleo, Sonia Andrade, durante ação social realizada no domingo para reforçar o convite da campanha

Uma campanha de divulgação da coleta foi organizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Pinda junto com a Associação Gente Feliz.

Para o diretor de Ação Social do sindicato, Vicente Caetano, o “Serrinha”, o objetivo maior da campanha é a conscientização, para que as pessoas não esperem passar por uma necessidade em um hospital pra entenderem o quanto a doação é necessária.

A doadora Angélica Rodrigues Santos convenceu a amiga a doar também e ligou para várias pessoas convidando

A doadora Angélica Rodrigues Santos convenceu a amiga a doar também e ligou para várias pessoas convidando

A moradora do Araretama Angélica Rodrigues Santos, de 42 anos, é um exemplo de doadora consciente. Desde 2005 ela doa sangue. Já foi várias vezes ao Hemonúcleo de Taubaté e gostou de poder fazer a doação no seu bairro.

“Precisava ter mais vezes essa coleta aqui em Pinda. Até hoje nunca me aconteceu nada grave de saúde, mas sei o quanto é importante. Amanhã a gente não sabe, pode ser meu filho ou um parente que fique em uma cama de hospital. Encontrei uma amiga no meio do caminho e convenci ela a vir comigo. Liguei pra várias pessoas pra virem doar também”, disse Angélica.

Veja as galerias de foto do evento:

Clique aqui para saber mais sobre doação de sangue.