Ameaça de greve muda negociação entre o Sindicato dos Metalúrgicos e a direção da Elfer

Metalúrgicos dão prazo para empresa cumprir o que prometeu para corrigir problemas de salário

Metalúrgicos dão prazo para empresa cumprir o que prometeu para corrigir problemas de salário

Os trabalhadores da Elfer aceitaram em assembleia nessa quarta-feira, dia 26, dar um prazo para que a direção da empresa realize melhorias, como a correção dos desvios de função, entre outros problemas.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT protocolou o comunicado de greve no último dia 20. No mesmo dia a empresa aceitou fazer a reunião pedida pelo sindicato há quase dois meses.

Nessa quarta-feira, quando foi feita nova assembleia, alguns itens reivindicados já haviam sido regularizados, principalmente com relação à segurança.

Segundo o secretário de Comunicação do sindicato, Benedito Irineu, a empresa também se comprometeu em corrigir os erros mais importantes, como pagamento da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e desvios de função, este último com prazo de 30 dias para auxiliares e 60 dias para os demais cargos.

Ao microfone, o secretário de Comunicação, Benedito Irineu, mostra comunicado de greve e conversa com trabalhadores

Ao microfone, o secretário de Comunicação, Benedito Irineu, mostra comunicado de greve e conversa com trabalhadores

“A direção da empresa poderia ter resolvido esses problemas antes, mas pelo menos ela se comprometeu em resolver antes da greve, que é a última alternativa em uma negociação. Parabéns aos trabalhadores que mostraram união. Vamos continuar fiscalizando pra ver se o que foi prometido será realmente cumprido”, disse Irineu.

A Elfer emprega cerca de 80 trabalhadores na oferta de serviços e fabricação de peças em alumínio no distrito industrial do bairro Feital.

Veja também:

Trabalhadores da Elfer aprovam comunicado de greve