Em 20 dias, mais de 5 mil cruzaram os braços pela Campanha Salarial em Pinda

Série de paralisações deve continuar nas empresas menores

Trabalhadores da Latasa durante paralisação nessa quarta-feira, dia 9

Trabalhadores da Latasa durante paralisação nessa quarta-feira, dia 9

Nas maiores fábricas metalúrgicas de Pindamonhangaba já ocorreram paralisações pela Campanha Salarial. Nessa quarta-feira, dia 9, a mobilização ocorreu na Latasa, que fica no bairro do Feital.

Em cerca de 20 dias, ocorreram paralisações em todas as fábricas que contam com representação no local de trabalho, o CSE – Comitê Sindical por Empresa. Ao total são 13 empresas, como Gerdau, Confab, Novelis, entre outras, que englobam mais de cinco mil trabalhadores.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Herivelto Vela, a série de paralisações deverá continuar nas empresas menores. “As empresas têm representantes na Fiesp, onde a campanha salarial acontece em grupo. Além do salário, a pressão é para manter os direitos conquistados pela categoria e para que as decisões coletivas, em assembleia, continuem prevalecendo mesmo após a reforma trabalhista”, disse Vela.

A pauta de reivindicações foi entregue pela FEM-CUT/SP (Federação dos Metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo) para as bancadas patronais no dia 4 de julho. As reuniões começaram, mas ainda não houve avanço.

Vejas as demais paralisações:

Incomisa

Incomisa

Tenaris Confab Tubos / Tenaris Coating

Tenaris Confab Tubos e Tenaris Coating

Novelis

Novelis

Elfer

Elfer

Alutent

Alutent

Novametal

Novametal

Bundy

Bundy

Confab Equipamentos (foto Gilson Leandro)

Confab Equipamentos (foto Gilson Leandro)

GV do Brasil

GV do Brasil

Gerdau

Gerdau e Harsco