Pinda participa do coletivo de mulheres da FEM-CUT

Maria (com o filho ao fundo) junto a outras sindicalistas em reunião da FEM-CUT, em SP (crédito Mídia Consulte)

Maria (com o filho ao fundo) junto a outras sindicalistas em reunião da FEM-CUT, em SP (crédito Mídia Consulte)

Dirigentes metalúrgicas dos sindicatos do ABC, Pinda, Sorocaba, Salto, Itu, São Carlos e Taubaté participaram no dia 16, da reunião do Coletivo de Mulheres da Secretaria da Mulher da FEM-CUT/SP, realizada na sede da Federação, em São Bernardo.

Pinda esteve representada pela companheira Maria Auxiliadora, sindicalista na Confab Tubos.

Na ocasião, as sindicalistas debateram as estratégias de organização das metalúrgicas no Estado.

“Tiramos como encaminhamento o levantamento do total de trabalhadoras cipeiras nas fábricas da nossa base. Temos realidades muito boas em algumas regiões, mas em outras precisamos focar o trabalho, visando aumentar o número de cipeiras. As CIPAS são fundamentais, porque por meio delas conseguimos melhorar a nossa representação na base”, explica a Secretária da Mulher da Federação, Andréa Sousa.

Segundo a dirigente, outros encaminhamentos são a participação da Secretaria nas reuniões dos coletivos de mulheres nos Sindicatos e a realização da próxima reunião do Coletivo da FEM, no dia 13 de agosto, em Taubaté.

Também participou da reunião do Coletivo o assessor jurídico da FEM, Raimundo Oliveira, que falou sobre a Campanha Salarial do ramo — cujo lançamento aconteceu no começo de julho, em frente à Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). “Entregamos as pautas de reivindicações para as seis bancadas patronais que nós negociamos e as negociações devem iniciar nos próximos dias”, contou.

Oliveira disse às sindicalistas que neste ano a pauta da FEM é cheia, ou seja, serão negociadas a melhoria e a ampliação de direitos econômicos e sociais. O assessor classificou a pauta da Federação como uma “pauta chão de fábrica”, porque atende às necessidades dos trabalhadores nos locais de trabalho. A data-base da categoria metalúrgica cutista é 1º de setembro e estão em Campanha 206 mil trabalhadores em todo o Estado.

Marcha Mundial das Mulheres

Andréa se reúne nesta quarta-feira, dia 17, na sede da FEM, com representantes da Marcha Mundial das Mulheres. O encontro debaterá a participação das mulheres metalúrgicas cutistas do Estado de São Paulo no 9º Encontro Internacional do movimento que acontecerá entre os dias 25 e 31 de agosto no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Pela primeira vez, o Brasil sediará o Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres, que reunirá representantes de cinco continentes do mundo, que estão ativamente envolvidas na luta pela erradicação da pobreza e da violência contra as mulheres. São esperadas 1.600 mulheres.

 

Homenagem

A Secretária da Mulher da FEM-CUT/SP, Andréa Souza, será homenageada pelo Partido dos Trabalhadores de São Bernardo pelo Dia Internacional da Mulher Negra Latinoamericana e Caribenha, celebrado em 25 de julho.

Esta datanasceu do 1º Encontro de Mulheres Negras da América Latina e do Caribe, realizado em julho de 1992, na cidade de Santo Domingo, na República Dominicana, que reuniu 70 países.

Na ocasião, o último dia do evento aconteceu no dia 25 de julho, quando foi criada a Rede de Mulheres Negras da América Latina e do Caribe, para a troca de informações, o estreitamento das relações e promoção de ações em conjuntas de luta e resistência da mulher negra.

Por ter sido uma data de decisões tão importantes, o dia 25 de julho foi escolhido como Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Este é um dia de comemorar, de ampliar parcerias, dar visibilidade à luta, às ações, promoção, valorização da mulher negra.

Refletir sobre a mulher negra, no Brasil hoje, significa refletir sobre os desafios da luta contra a pobreza e o racismo.

 

Fonte: Portal da FEM-CUT/SP