Três bloqueios travam principais vias de Pinda por 2h pela Greve Geral

Além do bloqueio, que envolveu 6 mil pessoas, passeatas no centro e paralisação dos bancos também marcaram a data na cidade

Paralisação na rodovia estadual Ver. Abel Fabrício Dias, a SP-62

Paralisação na rodovia estadual Ver. Abel Fabrício Dias, a SP-62

Três dos principais pontos de acesso de Pindamonhangaba foram paralisados por duas horas na manhã dessa sexta-feira, dia 28 de abril, pela Greve Geral, em protesto às Reformas da Previdência, Trabalhista e a Terceirização.

As paralisações ocorreram na rodovia Vereador Abel Fabrício Dias SP-62, no bairro Jardim Morumbi, na avenida Manoel César Ribeiro, no bairro Santa Cecília e na Estrada Municipal do Atanázio.

O protesto que durou das 6h às 8h reuniu metalúrgicos, condutores, químicos, servidores e integrantes do MST e de movimentos sociais.

Ao total, incluindo carros, motos, ônibus circulares e de fretamento para grandes fábricas, como Gerdau, Confab e Novelis, os sindicatos estimam que o ato envolveu cerca de 6 mil pessoas nesses três pontos.

“Hoje Pindamonhangaba parou. Agradeço a todos que aderiram ao movimento, participaram desse dia histórico, contribuíram para que essas reformas sejam barradas e o trabalhador não pague o preço daquele patinho amarelo”, disse Herivelto Vela, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos.

Ainda pela manhã, o grupo de sindicalistas somou-se à passeata do Sindicato dos Comerciários na praça Monsenhor Marcondes, e no período da tarde, às 14h, em nova manifestação junto com os professores ligados à  Apeoesp e trabalhadores dos correios, no mesmo local.

Segundo o Sindicato dos Bancários, apenas a Caixa Econômica Federal não aderiu à Greve Geral, todos os demais permaneceram fechados.

Todos os protestos foram pacíficos, sem confrontos.

Paralisação da Av. Manoel César Ribeiro, na entrada do bairro Santa Cecília

Paralisação da Av. Manoel César Ribeiro, na entrada do bairro Santa Cecília

Paralisação na estrada do Atanázio

Paralisação na estrada do Atanázio

Grupos de sindicalistas somou-se à manifestação dos comerciários na praça Monsenhor Marcondes, ainda pela manhã

Grupos de sindicalistas somou-se à manifestação dos comerciários na praça Monsenhor Marcondes, ainda pela manhã

Novo protesto no período da tarde juntou também professores ligados à Apeoesp e trabalhadores dos correios

Novo protesto no período da tarde juntou também professores ligados à Apeoesp e trabalhadores dos correios