Trabalhadores da Tenaris Confab ameaçam greve contra demissões

Fábrica tem previsão de obra, mas resiste em manter empregos



Assembleia aprovou comunicado de greve por unanimidade

A Tenaris Confab anunciou que pretende fazer demissão em massa, de 350 funcionários. Os trabalhadores fizeram uma assembleia nessa segunda-feira, dia 19, e estão ameaçando entrar em greve caso a empresa não apresente nova proposta para evitar essas demissões.

Em negociação com o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, a empresa afirmou que aceita fazer lay-off (programa do Ministério do Trabalho que complementa metade do salário do funcionário, com a antecipação do seguro desemprego) na unidade Tubos, e work-sharing (redução de jornada e salário) na unidade Equipamentos, mas que ainda assim pretende demitir mais da metade do anunciado: 180 funcionários.


Segundo o presidente do sindicato, Herivelto Vela, o motivo de entregar um comunicado de greve, que foi aprovado por unanimidade pelos trabalhadores, é que a categoria acredita que a empresa tem condições de fazer essas medidas para todos os funcionários e evitar as demissões.

“Já existe previsão de obra pra março, grande, de 180 mil toneladas, são cerca de 65 mil tubos pra Argentina, uma obra que vai fazer a fábrica voltar a operar com três turnos, além das outras etapas da obra da Zohr, um gasoduto do Egito. São 180 pais de família que também podem ter seus empregos preservados”, disse.

Ainda não foi discutido entre sindicato e empresa a possibilidade de PDV (Plano de Demissão Voluntária), ou de férias coletivas, nem a liberação de funcionários com férias vencidas.

A mobilização contou com apoio da direção do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté.

A Tenaris Confab emprega cerca de 1.200 trabalhadores na produção de tubos de aço, máquinas e equipamentos industriais para o setor pretolífero.