Trabalhadores da Suvifer ameaçam greve por reajuste de salário

Paralisação de 3 horas abriu negociação; empresa alega dificuldade, mas trabalhadores dizem que produção está alta

Assembleia aprovou por unanimidade a entrega do comunicado de greve

Os trabalhadores da Suvifer fizeram uma paralisação nessa terça-feira, dia 2, para cobrar da direção da empresa que aplique o reajuste da Campanha Salarial 2018. Eles aprovaram a entrega do comunicado de greve.

A empresa fica no distrito do Feital, perto da Oversound, tem 43 funcionários e fornece sucata com exclusividade para a Gerdau.

Desde o ano passado, o Sindicato dos Metalúrgicos vem buscando negociação com a direção da empresa.

Ela alega dificuldade financeira, mas os trabalhadores afirmam que a fábrica tem boa produção e que se manteve alta nos últimos meses.

Nessa terça-feira, era possível contar 15 caminhões carregados de sucata esperando para entrar na fábrica. Cada um deles pesa em média 20 toneladas, ou seja, apenas para essa terça-feira, a empresa deve ter 300 toneladas de material para processar.

Segundo o vice-presidente do sindicato, André Oliveira, ainda há outros problemas na empresa, como a redução pela metade que ocorreu na cesta básica, falta de itens de segurança, como a gaiola de proteção nos cilindros dos maçaricos, e também práticas de assédio moral.

O vice-presidente André Oliveira

“A empresa não aceitava reunir com o sindicato. Só fez isso depois de três horas de paralisação com adesão total. O comunicado de greve foi aprovado, os trabalhadores estão unidos e decididos a reivindicar que empresa apresente uma proposta para regularizar a situação”, disse.

A Suvifer tem filiais em Campinas (SP), Barra Mansa (RJ) e Paraná (PR). Segundo os trabalhadores, as outras unidades já pagaram reajuste de salário.

Logo na entrada, é possível ver os grandes cilindros de aço para serem processados