Trabalhadores da Novelis entram em greve pela campanha salarial

Decisão da maioria foi greve, que segue firme, com adesão total dos trabalhadores

Trabalhadores da Novelis entram em greve pela campanha salarial.1

Os trabalhadores da Novelis entraram em greve nessa segunda-feira, dia 30, pela campanha salarial. A greve ocorre por tempo indeterminado.

A categoria reprovou a proposta da empresa de 3% de reajuste salarial (1,73% de reposição da inflação, mais 1,25% de aumento real) e de uma bonificação na PPR (Programa de Participação nos Resultados) para maio de 2018.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, a proposta foi apresentada após dois protestos dos trabalhadores, um no dia 27 de setembro e outro no dia 17 de outubro.

Segundo o presidente do sindicato, Herivelto Vela, a entidade segue a decisão da maioria em assembleia.

“A greve segue firme, com forte adesão, e pacífica. Os trabalhadores estão respeitando a decisão da maioria, que foi pela greve. O trabalhador entendeu que essa proposta ainda está muito aquém do esperado, sendo que a Novelis é uma empresa que está em alta, com a produtividade batendo recorde. O prazo longo para o pagamento dessa bonificação na PPR também pode ter pesado na decisão da categoria”, disse Vela.

Até o momento, não houve nova rodada de negociação entre sindicato e empresa. A greve segue por tempo indeterminado.

A Novelis emprega 1.200 trabalhadores na fabricação de chapas de alumínio. A maioria está no turno da manhã, cerca de 800 funcionários. A empresa é representada na Fiesp pelo Sindicel.

TURNO DA TARDE

Uma nova assembleia foi realizada. Os trabalhadores votaram pela continuidade da greve. Veja abaixo:

 

Trabalhadores da Novelis entram em greve pela campanha salarial.2

O presidente Herivelto Vela

O presidente Herivelto Vela

O dirigente sindical Novelis, Sérgio da Silva, secretário de Finanças do sindicato

O dirigente sindical Novelis, Sérgio da Silva, secretário de Finanças do sindicato