Trabalhadores da Novelis atrasam turno contra falta de segurança

 

Metalúrgicos da Novelis atrasam entrada do turno por mais segurança no local de trabalho

Metalúrgicos da Novelis atrasam entrada do turno por mais segurança no local de trabalho

Os trabalhadores da Novelis atrasaram a entrada do turno na manhã dessa quinta-feira, dia 10. A paralisação, de 30 minutos, protestou contra a falta de funcionários, bem como a falta de condições de segurança e também contra as práticas de assédio moral.

De acordo com o coordenador do Comitê Sindical da Novelis, Odirley Romão Prado, em quase todas as áreas da empresa há funcionários fazendo a função de dois ou até três operadores. “Recebemos denúncias de trabalhadores fazendo jornada além do permitido por lei e até casos de operadores sem poder fazer a sua refeição, isso sem falar nas gambiarras e nas condições inseguras nas áreas. Até goteira em área de forno tem na Novelis, uma empresa que fala tanto em segurança, mas não aplica.”

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT, Renato Marcondes de Oliveira, o “Mamão”, os trabalhadores estão dando o seu recado. “No final do ano passado já fizemos atrasos de turno pelo mesmo motivo e a Novelis não está tomando atitudes efetivas para garantir a segurança. Os trabalhadores exigem mais comprometimento por parte da empresa”.

A Novelis emprega cerca de 1.000 trabalhadores na produção de chapas de alumínio a frio e quente.

Sindicato dos Metalúrgicos de Pinda conversa com trabalhadores sobre a falta de resposta da empresa para as reivindicações

Sindicato dos Metalúrgicos de Pinda conversa com trabalhadores sobre a falta de resposta da empresa para as reivindicações