Trabalhadores da Incomisa aprovam medida para preservar empregos

Banco de horas irá funcionar por seis meses, mas com regras cobradas pelo sindicato

Proposta foi aprovada por unanimidade pelos trabalhadores

Proposta foi aprovada por unanimidade pelos trabalhadores

Os trabalhadores da Incomisa aprovaram nessa sexta-feira, dia 7, a aplicação do banco de horas para evitar demissões na empresa.

A negociação entre o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba e a direção da empresa sobre a baixa na produção chegou a uma proposta, que foi aprovada por unanimidade. O acordo terá duração de seis meses e entrará em vigor na segunda-feira, dia 10.

Nas próximas quatro semanas, a fábrica funcionará com apenas um turno. Os trabalhadores dos dois turnos farão um revezamento. Em duas semanas o turno da manhã estará de folga e nas outras duas o turno da tarde. Essas 88 horas serão compensadas ao longo dos seis meses do acordo. Durante essas quatro semanas, os funcionários estarão no horário administrativo e assim poderão folgar os sábados.

Segundo o dirigente sindical André Luis Dantis, uma das reivindicações do sindicato foi que houvesse um teto do banco de horas. “Passou aquele limite de horas, paga como hora-extra. O trabalho no final de semana vai abater mais horas do que os dias de semana. E o chefe não vai poder impor ao funcionário que abata essas horas nas férias. Sabemos que é uma medida difícil, mas necessária na atual situação da empresa”, disse.