Trabalhadores da Hton estão em greve por falta de salário

Fábrica também tem funcionários com férias vencidas, salários abaixo do piso e até falta de registro em carteira

Trabalhadores de braços cruzados junto com o sindicato nessa segunda-feira (foto Benedito Irineu)

Trabalhadores de braços cruzados junto com o sindicato nessa segunda-feira (foto Benedito Irineu)

Os trabalhadores da Hton decidiram manter nessa segunda-feira, dia 15, a greve iniciada na tarde da última sexta, por falta de pagamento de salários, além de outros graves problemas.

Os 25 funcionários estão com dois meses de salário atrasado. Desses, 13 foram contratados em maio e ainda não foram sequer registrados. Os últimos pagamentos de FGTS foram feitos em 2011 e o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT também constatou casos de trabalhadores com férias vencidas e salários abaixo do piso.

Há uma semana, no dia 8, uma paralisação já havia sido feita para pressionar os patrões da Hton a pagar ao menos os salários. “O próprio dono assumiu que houve erros de gestão. Nós até demos um prazo, mas não estamos vendo um esforço real para não prejudicar os funcionários. Enquanto não pagar, os trabalhadores não voltam”, disse Benedito Irineu, secretário de Comunicação da entidade.

A direção da empresa não pagou nem o convênio que fez com a Secretaria de Administração Penitenciária do Governo do Estado para que presidiárias fizessem parte da produção e materiais da Hton estão bloqueados dentro do presídio.

O sindicato também está tomando as medidas jurídicas necessárias para preservar os direitos dos funcionários. A Hton produz placas eletrônicas no Distrito Industrial Santa Rita, próximo à Dutra.