Trabalhadores da GV do Brasil aprovam proposta da Campanha Salarial

Proposta tem reajuste, abono de R$ 1.000, aumento de 25% na PLR e garantia de emprego

Assembleia nesta terça-feira que aprovou proposta, apresentada após ameaça de greve

Os trabalhadores da GV do Brasil, em Pindamonhangaba, aprovaram nessa terça-feira, dia 27, a proposta da Campanha Salarial. Uma semana atrás uma paralisação havia ocorrido. Após ameaça de greve, a empresa apresentou nova proposta.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos, este ano a empresa dobrou sua produção. Em todos os meses teve produção cheia e excesso de jornada.

Segundo o presidente do sindicato, André Oliveira, a proposta consiste no pagamento do reajuste salarial da inflação, calculada em 2,94%, um abono salarial de R$ 1.000 a ser pago nesta sexta-feira, dia 30, um adicional de 25% na PLR (Participação nos Lucros e Resultados), que chegará a R$ 2.500, sendo R$ 1.500 também nesta sexta-feira, e garantia de emprego até fevereiro de 2021.

“Essa é a luta do sindicato, conseguir uma proposta coerente com a realidade da fábrica. Empresa estava resistente, mas viu a mobilização dos trabalhadores. É assim que a gente avança”, disse.

A GV do Brasil, do grupo Simec, atua no ramo do aço para construção civil e tem cerca de 480 funcionários.

O dirigente sindical na GV, Paceli Alves
O presidente André Oliveira
O vice-presidente Luciano Tremembé