Trabalhadores da Gerdau fazem novo protesto contra demissões

Trabalhadores do setor de produção na manhã dessa quinta-feira, dia 26, durante paralisação de uma hora

Trabalhadores do setor de produção na manhã dessa quinta-feira, dia 26, durante paralisação de uma hora

Os trabalhadores da Gerdau fizeram mais um protesto nessa quinta-feira, dia 26, contra a recusa da direção da empresa em aplicar medidas que evitam demissões. A entrada do turno foi atrasada em cerca de uma hora.

Há uma semana, no dia 19, a fábrica dispensou 90 funcionários, o que já é considerado demissão em massa. Desde o começo do ano, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT reivindica a negociação de medidas como lay-off, férias coletivas e redução de jornada, mas a direção da Gerdau não aceita nenhuma delas. No mesmo dia das demissões, houve protesto no turno da noite.

“O RH queria que a gente assinasse um acordo aceitando essas demissões com dois meses a mais de um outro convênio médico qualquer, como se isso fosse uma proposta da empresa. Não é. Não houve negociação. Ela chegou e falou: Já demiti. A gerência podia evitar essas 90 demissões, sim. Falta efetivo na fábrica”, disse André Oliveira – Andrezão, coordenador do comitê sindical na unidade.

A Gerdau de Pinda emprega cerca de dois mil trabalhadores na produção de laminados a aço.

Ao microfone, o coordenador do CSE, Andrezão

Ao microfone, o coordenador do CSE, Andrezão

Galeria de fotos: