Trabalhadores da Cosmetal ameaçam greve

 

Mesmo com tentativa da empresa em inibir a mobilização, trabalhadores param e aprovam entrega do comunicado de greve

Mesmo com tentativa da empresa em inibir a mobilização, trabalhadores param e aprovam entrega do comunicado de greve

Os trabalhadores da Cosmetal aprovaram na manhã dessa terça-feira, dia 19, a entrega do comunicado de greve à direção da empresa. A pauta reivindica a implantação da estrutura de cargos e salários, do plano médico e a correção de problemas na segurança.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT, Renato Marcondes, o “Mamão”, a categoria não tolera mais a postura da direção da Cosmetal. “Nem a Cipa esses empresários estão respeitando. Os trabalhadores já estão cansados dessa truculência e falta de resposta para as reivindicações.”

Para o sindicalista Luciano da Silva, o “Tremembé”, o número de acidentes preocupa e a falta de segurança na fábrica está cada vez pior.

“Tem funcionário jogando água na luva pra não sentir tanto calor porque a luva não é adequada. Tem ponte rolante sem freio. Não podemos deixar que a empresa coloque em risco a vida dos trabalhadores, isso sem falar nos erros de salário”, disse Tremembé.

A Cosmetal emprega cerca de 140 trabalhadores na laminação de ferro e corte e dobra de material.

 

Desrespeito. Irregularmente, a direção da Cosmetal dispensou um funcionário com estabilidade de emprego pela Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes). Por meio do Departamento Jurídico do sindicato, Jorge Luis Correia conseguiu na Justiça do Trabalho o direito de retornar à fábrica e se inscrever na eleição da Cipa, que ocorreu no último dia 13. Ele foi eleito, e mesmo assim no dia seguinte a empresa barrou a sua entrada e insiste em desrespeitar a legislação. O sindicato está tomando as medidas judiciais necessárias.