Trabalhadores ameaçam greve na Novelis

Todos aderiram à paralisação para cobrar melhor proposta da direção da empresa

Todos aderiram à paralisação para cobrar melhor proposta da direção da empresa

Os trabalhadores da Novelis fizeram mais uma paralisação de uma hora pela Campanha Salarial nessa quinta-feira, dia 15. O protesto ocorreu em função do posicionamento da direção da empresa em nova reunião com o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT.

Um atraso de turno já foi feito no dia 9. Segundo o coordenador do comitê sindical Novelis, Odirley Prado, a empresa ainda se nega a pagar o reajuste da inflação, de 9,88%, de uma única vez.

“A chefia da Novelis quer pegar carona no discurso de crise, mesmo batendo recorde de produção. Outras empresas menores do mesmo ramo já deram até aumento real. Todo mundo aderiu à paralisação dessa quinta. Uma greve está prestes a estourar”, disse.

O coordenador do CSE Novelis, Odirley Prado: “A Novelis quer pegar carona no discurso de crise, mesmo batendo recorde de produção”

O coordenador do CSE Novelis, Odirley Prado: “A Novelis quer pegar carona no discurso de crise, mesmo batendo recorde de produção”

Nas negociações entre a FEM-CUT/SP (Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT) e as bancadas patronais, a Novelis integra o Grupo 8 (trefilação e laminação, entre outros). “A fábrica insiste para esperar o encerramento em São Paulo. O pessoal sabe que é pra ganhar tempo. Não vai adiantar. A realidade da fábrica não é a mesma da maioria das empresas”, completou.

A Novelis emprega cerca de 1.100 trabalhadores na produção de chapas de alumínio.

2015_10_15 Campanha Salarial.Paralisação Novelis_8212_1