Taubaté: 1500 metalúrgicos protestam por aumento salarial

Dirigentes de Pinda também participaram da mobilização, que ocorreu no Distrito Industrial do Piracangaguá (Crédito: Zé Alfredo)

Dirigentes de Pinda também participaram da mobilização, que ocorreu no Distrito Industrial do Piracangaguá (Crédito: Zé Alfredo)

Os metalúrgicos em Taubaté e região realizaram um protesto, na manhã desta segunda-feira (8), em frente ao Fórum Industrial de Piracangaguá para cobrar avanços na Campanha Salarial, que segue emperrada por conta da intransigência dos patrões.

A manifestação teve início, às 5h30 da manhã e durou até às 8h. O Fórum é formado por oito empresas e tem cerca de 1500 metalúrgicos que trabalham nas empresas dos Grupos 3 e 8. Também participaram do ato dirigentes dos Sindicatos dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba e dos Condutores do Vale do Paraíba.

“O protesto é para exigir dos patrões uma proposta decente de reajuste salarial. Até o momento, algumas bancadas patronais nos ofereceram 4,5% isso é indecente, pois nem contempla a inflação do período da nossa data-base, 1º de setembro” , frisa o presidente da FEM-CUT/SP, Valmir Marques da Silva, Biro-Biro, que também é vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté.

Estado de greve

Durante a assembleia desta manhã, a categoria aprovou estado de greve. “Esperamos que o Grupo 3 apresente uma proposta econômica satisfatória, caso o contrário, os trabalhadores estão mobilizados e prontos para parar”, alerta o presidente do Sindicato, Hermani Lobato.

Nova negociação

Nesta terça-feira (9), haverá uma nova rodada de negociações com o G3 (que reúne os setores de Autopeças, Forjarias e Parafusos), no Sindipeças, na capital paulista. Estão em Campanha nas empresas destes setores na base FEM 51,3 mil metalúrgicos.

Fonte: Portal FEM-CUT/SP