Sindicato retoma negociação permanente com bancada patronal do Grupo 2

FEM-CUT/SP também discute negociação permanente com patrões do antigo Grupo 8

Os dirigentes sindicais Gilson – Chupeta e João Reimberg durante reunião com os patrões do G2, grupo da Tenaris Confab

No último dia 27, a FEM-CUT/SP (Federação dos Sindicatos dos Metalúrgicos da CUT São Paulo) retomou as mesas de negociação permanente, conquista da Campanha Salarial de 2015, incluída na Convenção Coletiva de Trabalho como cláusula compromissória.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba participou por meio dos dirigentes Gilson Leandro – Chupeta, e João Reimberg, ambos do grupo Tenaris Confab, que é do Grupo 2.

“Esta conquista precisa ser valorizada”, destacou Adilson Faustino, o Carpinha, secretário geral da FEM-CUT/SP. “Desde que conquistamos este espaço ele se mostrou importante para a qualidade dos debates e os avanços nas conquistas dos trabalhadores. Em 2018, a mesa permanente se mostra ainda mais essencial por ser um ano atípico, com diversos eventos que interferem nas negociações de Campanha Salarial, por exemplo” continuou.

foto Marina Selerges

O Grupo 2, bancada patronal composta pelos setores de máquinas e equipamentos e eletroeletrônicos, foi o primeiro grupo a atender ao pleito da mesa permanente. Em 2016 e 2017 puderam comprovar a eficácia do diálogo permanente e nesta quinta-feira, foi o primeiro grupo a retomar a conversa com a bancada dos trabalhadores/as.

“Nesta primeira conversa apresentamos a readequação da Convenção Coletiva de Trabalho. Sem retirar nenhum direito, apenas reorganizando o documento, diminuímos de 90 para 47 cláusulas”, disse Carpinha. “A CCT está mais moderna, de fácil entendimento tanto para o patronal como para os trabalhadores”, complementou.

A FEM-CUT/SP também iniciou apresentando as demandas da categoria para este ano. “A conjuntura não mudou muito do ano passado até hoje. Sabemos que precisaremos de muita sabedoria, luta e unidade entre cada trabalhador na base, mas a perspectiva é positiva. Será mais um ano defendendo a Convenção Coletiva de Trabalho para garantir nossos direitos”, finalizou Adilson.

A bancada dos trabalhadores também se reuniu com representantes do antigo Grupo 8 para dar início às tratativas da mesa de negociação permanente.