Sindicato consegue pagamento para os trabalhadores da Tecn-Serv

Negociação já garantiu parte das rescisões. Cada trabalhador recebeu R$ 3 mil

Trabalhadores reunidos na sede do sindicato para receber da empresa uma parcela das rescisões

Trabalhadores reunidos na sede do sindicato para receber da empresa uma parcela das rescisões

Há dois meses o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba tem buscado meios de garantir o pagamento das rescisões trabalhistas a 80 trabalhadores da Tecn-Serv. Uma parcela foi paga nessa quinta-feira, dia 11.

Em março, a empresa anunciou o encerramento das atividades, após o término antecipado de um contrato com sua única cliente, a Novelis, que contratou outra empresa para fazer as manutenções que a Tecn-Serv fazia.

Apesar de não ser responsabilidade do sindicato, a direção ainda insistiu para que a Novelis revertesse a decisão, mas isso não ocorreu.

O dirigente sindical Carlos Cabral, o Carlão

O dirigente sindical Carlos Cabral, o Carlão

Segundo o dirigente sindical Carlos Cabral, o Carlão, a preocupação com as rescisões trabalhistas é grande. A decisão de homologar essas demissões com ressalvas foi tomada para que eles conseguissem receber o seguro-desemprego e o saldo que tinha no FGTS.

“A empresa não decretou falência, esperamos que isso realmente não ocorra. É uma questão muito delicada, mas ainda resta uma esperança, nenhum maquinário foi retirado”, disse Carlão.

O pagamento realizado pela empresa nessa quinta-feira na sede do sindicato equivale a um terço do valor total das rescisões. Cada trabalhador recebeu R$ 3 mil, em alguns casos esse já era o valor de quitação.

“É direito do trabalhador receber o valor integral na demissão, mas isso não foi possível. O Departamento Jurídico está tomando as medidas necessárias, mas o que pudermos fazer com negociação, pra favorecer os trabalhadores agora, vamos tentar ao máximo. Hoje foi uma conquista.”

2017_05_11 Tecn-Serv.Pagamento de parte das rescisões_2693_1