Sindicato conquista a 4ª reintegração deste ano na Tenaris Confab

João Batista, do pátio da Confab Tubos, foi reintegrado, assim como Jailsom, também do pátio, que voltou mês passado

João Batista Escóssia, durante sua reintegração na Confab Tubos, junto a dirigentes e o advogado do sindicato

João Batista Escóssia, durante sua reintegração na Confab Tubos, junto a dirigentes e o advogado do sindicato

Nessa quarta-feira, dia 31, ocorreu a quarta reintegração deste ano de funcionário da Tenaris Confab por determinação da Justiça do Trabalho a uma ação movida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT.

João Batista Escóssia, de 52 anos, trabalhou por 19 anos como controlador de estoque no setor de Logística, o chamado pátio da Confab Tubos. O INSS reconheceu que as dores que João sente no ombro, cotovelo e no pulso são por causa do esforço feito dentro da fábrica.

“Eu trabalho com coletor de leitura óptica, é uma aparelho que pesa cerca de 1,3 kg, só que eu fico o dia inteiro com ele no gatilho. Em 2014, comecei a sentir dor, parecia até que tinha batido o braço e fiz tratamento, foram mais de 40 sessões de fisioterapia, acabei tendo que afastar porque a dor não passava”, disse.

Quando retornou do afastamento, João chegou a ficar em função compatível, no setor de balança, mas dois meses depois teve que voltar a usar o coletor.

João Batista Escóssia, de 52 anos, do pátio da Confab Tubos

João Batista Escóssia, de 52 anos, do pátio da Confab Tubos

A notícia da demissão, em abril, foi impactante para ele, que chegou a tomar remédios para depressão. Hoje reintegrado, João se diz aliviado por ter conseguido justiça. “Em momento algum quis mais do que o meu direito, só quis o que é meu. Estou muito feliz. Isso foi, primeiramente, graças a Deus, e graças ao sindicato que me orientou.”

4 reintegrações só na Confab

Segundo levantamento do Departamento Jurídico, essa foi a quarta reintegração judicial deste ano nas unidades Tenaris Confab, nas ações movidas pelo sindicato.

No começo deste mês, outro funcionário do mesmo setor, Jailsom Miguel, de 43 anos, operador de veículos industriais, também foi reintegrado. Com sete anos de empresa, Jailsom foi demitido em 2014 mesmo com duas hérnias de disco na coluna.  Após dois anos fora da fábrica, hoje seu sentimento é de vitória.

“O sindicato deu o maior apoio. Hoje estou no compatível, continuo dirigindo, mas faço outras atividades, com outros tipos de veículos que não exigem o mesmo esforço. Eu tenho sentimento de vitória. Tive fé e a justiça prevaleceu”, disse Jailsom.

Além dele foram reintegrados José Francisco de Oliveira e Eduardo Bernardes, todos da unidade Tubos.

Jailsom Miguel, também do pátio, retornou para fábrica no começo de julho, por determinação da Justiça

Jailsom Miguel, também do pátio, retornou para fábrica no começo de julho, por determinação da Justiça