Protesto na Bundy cobra reunião da Campanha Salarial e melhor atendimento médico

Trabalhadores atrasaram a entrada dos turnos em protesto por salários e melhorias no atendimento médico da empresa

Trabalhadores atrasaram a entrada dos turnos em protesto por salários e melhorias no atendimento médico da empresa

Os trabalhadores da Bundy realizaram atrasos de turno nessa segunda-feira, dia 1º de setembro, para pressionar os patrões do Grupo 8 pela Campanha Salarial e protestar contra problemas no atendimento médico da fábrica.

Segundo o presidente do sindicato, Renato Marcondes, o “Mamão”, até o momento não há nenhuma proposta de reajuste salarial no Grupo 8 (ao qual pertence a Bundy) nem agenda de novas rodadas de negociação.

De acordo com o dirigente sindical na Bundy, José Ivanez – “Gato”, um dos motivos do protesto também foi uma determinação do Departamento de Recursos Humanos proibindo que qualquer funcionário seja levado por veículo da empresa ao hospital.

“No próprio documento cita que se o trabalhador passar mal tem que chamar algum parente ou o resgate. Isso é absurdo. É o completo descaso da direção da empresa com seus funcionários”, disse.

Ainda segundo Gato, problemas de salários defasados continuam sendo reclamados. “Queremos que a empresa mude sua política salarial e avalie melhor os salários dos operadores um, dois e três. Isso é urgente. Ou a empresa aplica as correções necessárias, ou os trabalhadores vão cruzar os braços e aí a gerente vai ter que negociar com a fábrica parada.”

Ao microfone, o dirigente sindical na Bundy José Ivanez - "Gato"

Ao microfone, o dirigente sindical na Bundy José Ivanez – “Gato”