Plenária da FEM aprova pauta da Campanha Salarial de 215 mil metalúrgicos

Representantes dos 14 sindicatos filiados aprovam pauta de reivindicações em assembleia (Crédito foto: Tadeu Italiani)

Representantes dos 14 sindicatos filiados aprovam pauta de reivindicações em assembleia (Crédito foto: Tadeu Italiani)

Representantes dos 14 sindicatos filiados à FEM-CUT/SP (Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT de São Paulo) aprovaram por unanimidade a pauta de reivindicações para a Campanha Salarial deste ano. A data-base da categoria é 1º de setembro. O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba esteve presente.

A decisão foi tomada durante encontro realizado na quarta-feira, dia 28 de maio, na sede da FEM-CUT/SP, em São Bernardo do Campo (SP) e destaca como principais pontos para as negociações com a bancada patronal a reposição da inflação, aumento real, valorização dos pisos, redução de jornada para 40 horas sem redução de salário e licença maternidade de 180 dias para os grupos 8, 10 e Estamparia.

Direção de Pinda presente na Plenária da Campanha Salarial (Crédito foto: Divulgação)

Direção de Pinda presente na Plenária da Campanha Salarial (Crédito foto: Divulgação)

Neste ano, as cláusulas sociais não entram na pauta, pois foram negociadas no ano passado com validade de dois anos.

Mais de 215 mil metalúrgicos nos setores de máquinas, eletrônicos, autopeças, forjaria, parafusos, trefilação, laminação de metais ferrosos, lâmpadas, estamparia e fundição, entre outros no Estado estão na Campanha (confira quadro).

Os metalúrgicos nas montadoras participarão de forma solidária, já que têm acordos fechados por longo prazo, com inclusão de novos investimentos e produtos nas unidades.

Na plenária, foi aprovado também o calendário da Campanha, que começa com o período de 2 a 9 de junho para as assembleias nas fábricas para que os trabalhadores possam debater e votar a proposta de pauta da FEM-CUT.

A entrega da pauta acontecerá na Fiesp, a federação patronal, para todos os grupos em Campanha, em data a ser definida.

Unidade

O presidente da FEM-CUT/SP, Valmir Marques, o "Biro-Biro" (Crédito foto: Adonis Guerra-SMABC)

O presidente da FEM-CUT/SP, Valmir Marques, o “Biro-Biro” (Crédito foto: Adonis Guerra-SMABC)

“Neste ano os nossos desafios serão muito maiores. Nunca tivemos um cenário de Campanha fácil e esta não será diferente. A conjuntura não tem ajudado muito, de acordo com dados da Subseção do Dieese da FEM-CNM/CUT houve uma queda de 1.463 postos de trabalho na nossa base neste começo de ano. Mas acreditamos que a economia vai reagir e que as empresas vão voltar a produzir aos níveis anteriores”, frisa o presidente da FEM-CUT/SP, Valmir Marques da Silva (Biro Biro).

O presidente destacou que é essencial a unidade de todos os sindicatos metalúrgicos nesta Campanha. “Faremos uma Campanha Salarial com muita garra e com disposição de luta que os metalúrgicos da CUT sabem fazer. A nossa união é fundamental para fecharmos acordos vitoriosos que garantam índices superiores aos que temos conquistado nos últimos anos”, frisa.

 

Licença maternidade de 180 dias para todas

Apesar das cláusulas sociais não estarem na pauta de reivindicações da Campanha Salarial 2014, a licença maternidade de 180 dias fará parte das negociações com os grupos 8, 10 e Estamparia.

O motivo é que nestes grupos a cláusula é facultativa ou a licença é de 150 dias, no caso do G10. A luta é para que este direito seja igual para todas as companheiras na base dos metalúrgicos da CUT em todo Estado de São Paulo.

“Queremos que estes três setores se igualem aos demais grupos patronais que já asseguram os 180 dias como um direito pleno e efetivo das mulheres metalúrgicas”, informa Biro.

 

Base FEM-CUT/SP em Campanha Salarial (dados atualizados até abril/2014)

A data-base dos metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo, representados pela FEM-CUT/SP, é 1º de setembro. Estarão em Campanha cerca de 215 mil trabalhadores. Confira os grupos representados pela Federação:

Quadro base da FEM-CUT - Campanha Salarial 2014

Fonte: Com informações da assessoria de imprensa da FEM-CUT/SP