Pinda vai participar de ato pela democracia e justiça nesta sexta

Mobilização nacional vai reafirmar liberdade, condenar o golpe e pedir mais igualdade. Lula deve participar do ato em São Paulo

Vagner, Lula e Rui Falcão em plenária no último dia 4, em São Paulo (foto Ricardo Stuckert - Instituto Lula)

Vagner, Lula e Rui Falcão em plenária no último dia 4, em São Paulo (foto Ricardo Stuckert – Instituto Lula)

A principal tarefa dos movimentos sociais e sindical e de todos os democratas brasileiros é organizar uma grande mobilização no próximo dia 18, em diferentes cidades do Brasil.

Membros do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT participarão do ato contra o golpe jurídico-midiático em curso, em defesa da democracia e do presidente Lula e por mudanças na política econômica que deem novo impulso ao governo Dilma.

De acordo com o presidente do sindicato, Renato Mamão, atos estão sendo convocados em todo o Brasil pela Frente Brasil Popular e a presença de Lula é aguardada na manifestação de São Paulo, que está marcada para as 16h, no vão livre do MASP.

“Lula é o símbolo maior de ascensão social dos mais pobres, já que o governo dele tirou 40 milhões da miséria e ampliou o acesso ao ensino, à saúde e possibilitou a construção de políticas públicas que buscam igualdade”, disse.

O secretário geral do sindicato, Vela, também presidente do PT Pinda, junto ao ex-presidente metalúrgico (foto arquivo pessoal)

O secretário geral do sindicato, Vela, também presidente do PT Pinda, junto ao ex-presidente metalúrgico (foto arquivo pessoal)

Para o secretário geral do sindicato, Herivelto Moraes – Vela, que também é presidente do Partido dos Trabalhadores em Pinda, não se pode tolerar a violência praticada contra a militância e contra entidades que representam uma trajetória de luta por mais direitos, como os atos que ocorreram no final de semana, dias 12 e 13, contra as sedes da UNE, do PCdoB, da subsede da CUT Campinas e a invasão policial armada à assembleia realizada na última sexta-feira, dia 11, na subsede Diadema do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

“As manifestações de domingo revelaram vários sinais de que há um golpe em preparação que pretende atacar não só o PT e a entidades com ele identificadas, mas o próprio Estado de Direito e, consequentemente, as garantias individuais. Promotores estão se sentindo no direito de prender sem provas. Temos que nos mobilizar contra esses ataques à democracia que vem ocorrendo com o apoio de grandes veículos de comunicação. Não vai ter golpe”, disse Vela.