Pinda recebe ato de lançamento da Campanha Salarial no Vale do Paraíba

Lançamento da Campanha está diferente este ano, com grandes atos regionais que ocorrerão até quinta e a entrega da pauta na Fiesp será na sexta-feira

Mais de mil trabalhadores da Gerdau de braços cruzados por uma hora para dar início à Campanha Salarial 2015 no Vale do Paraíba

Mais de mil trabalhadores da Gerdau de braços cruzados por uma hora para dar início à Campanha Salarial 2015 no Vale do Paraíba

A Federação dos Sindicatos Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP) promoveu nesta terça-feira, dia 30, um ato regional de lançamento da Campanha Salarial 2015 no Vale do Paraíba. O ato ocorreu em Pindamonhangaba, na portaria da Gerdau, onde mais de mil trabalhadores atrasaram a entrada do turno em uma hora.

O presidente da FEM-CUT/SP, Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, fez um contraponto às alegações de crise do setor empresarial citando a alta rotatividade nas fábricas.

“É fato que estamos perdendo postos de trabalho, mas também é fato que as empresas, estejam em crise ou não, trocam em torno de 40% os seus trabalhadores. Demitem e contratam outros ganhando menos. Há empresas realmente com dificuldade, mas muitas tentam forçar uma reestruturação neste momento. Não podemos deixar que elas joguem todo o custo de uma situação ruim nas costas do trabalhador”, disse.

Luizão também reforçou o slogan da Campanha da FEM deste ano que é #Nenhum Direito a Menos e Mais Avanços Sociais.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, Renato Marcondes – Mamão, falou da importância da categoria manter a união, principalmente agora. “A Gerdau só aceitou abrir negociação do lay-off com muita insistência do sindicato e mobilização dos trabalhadores. Só assim podemos avançar.”

Ao microfone, o presidente da FEM-CUT/SP, Luiz Carlos – Luizão; ao fundo, dirigentes de Pinda, Herivelto Vela e Renato Mamão

Ao microfone, o presidente da FEM-CUT/SP, Luiz Carlos – Luizão; ao fundo, dirigentes de Pinda, Herivelto Vela e Renato Mamão

Próximos atos. O ato desta terça foi ação conjunta dos metalúrgicos de Pinda e de Taubaté e também contou com apoio de sindicalistas do ABC, Sorocaba, Cajamar e dos condutores do Vale do Paraíba – um grupo de 70 sindicalistas.

O primeiro ato ocorreu no ABC, na segunda. Atos ocorrerão em outras regiões do Estado até quinta-feira e na sexta-feira será a entrega da pauta às bancadas patronais na Fiesp.

O objetivo dos atos é politizar o debate das cláusulas sociais para os trabalhadores nas portas das fábricas – que será destaque nas pautas de reivindicações da FEM.

Os metalúrgicos da CUT no Estado de São Paulo aprovaram como principais bandeiras de lutas: jornada de 40 horas semanais; a reposição da inflação e aumento real; a unificação e valorização dos pisos e a valorização das cláusulas sociais.

A data-base do ramo é 1º de setembro e estarão em Campanha cerca de 200 mil metalúrgicos e metalúrgicas de seis setores em todo o Estado.

Sindicalistas metalúrgicos de Pinda, Taubaté, ABC, Sorocaba, Cajamar e também os condutores do Vale do Paraíba

Sindicalistas metalúrgicos de Pinda, Taubaté, ABC, Sorocaba, Cajamar e também os condutores do Vale do Paraíba