O Bem Viver e a Dilma, por Herivelto Vela

Felizmente, o contrato foi feito no governo Dilma, porque o Temer já mudou o formato do programa

No dia 22 participei da solenidade de entrega dos 1.536 apartamentos do residencial Bem Viver, no bairro Araretama.

Tem metalúrgicos que também foram contemplados. O programa envolve famílias com renda de até R$ 1.800,00.

Todas essas famílias estão conseguindo ter um imóvel graças ao programa Minha Casa, Minha Vida, que financiou 90% do empreendimento. Foi um contrato feito na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff e do prefeito Vito Ardito.

E foi em uma época que o Governo Federal fazia o Minha Casa, Minha Vida de outra forma, como foi criado pra ser.

O Temer fala na mídia que manteve o programa, mas o que ele fez foi diminuir a liberação de crédito para a faixa 1, a faixa de quem mais precisa, que é a faixa do Bem Viver.

Temer tem tomado uma série de medidas para restringir o acesso ao financiamento. A Caixa mesmo foi o único banco que não reduziu os juros neste ano diante dos cortes da taxa Selic.

Felizmente, o Bem Viver ainda é resultado de um contrato feito pelo governo Dilma. Ali eu vi amigos de infância que estavam com dificuldade e ficaram felizes com o sonho realizado.

Saber que isso foi resultado de uma política de esquerda, preocupada com a função social do programa, me deixa feliz.

Não só dessa obra, como também a construção de três UPAS, 11 creches e várias outras obras que estão sendo feitas em Pinda que foram firmadas junto ao governo Dilma.

*Herivelto Vela é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos