Nova lei retira acidentes das metas de PLR das fábricas

Vice-presidente Romeu Martins ao microfone junto à direção na porta da Bundy, primeira fábrica de Pinda que já aplicou a nova lei na negociação da PLR

Vice-presidente Romeu Martins ao microfone junto à direção na porta da Bundy, primeira fábrica de Pinda que já aplicou a nova lei na negociação da PLR

 

A presidente Dilma Rousseff sancionou no dia 20 de junho a lei 12.832, que altera a Lei 10.101, que rege a PLR.

A nova medida determina que nas negociações de PLR “não se aplica mais as metas referentes a saúde e segurança do trabalho”, ou seja, a partir de 20 junho, as metas de acidentes, que costumam constar no programa, deverão ser retiradas.

Para o vice-presidente do sindicato, Romeu Martins, a medida irá beneficiar os trabalhadores.

“Na negociação nós acabamos pedindo para aumentar o número limite de acidentes dentro das metas porque queremos que os trabalhadores consigam atingir o resultado total, mas isso não é o ideal. O que o sindicato quer realmente é zero acidente. E da forma como estava prejudicava o ambiente no local de trabalho, pois havia situações em que o trabalhador chegava a esconder o acidente porque sabia que aquilo iria descontar na PLR e ele ficava inclusive constrangido junto aos seus colegas de trabalho. Essa lei veio no momento certo”, disse Romeu.