Metalúrgicos de Pinda aprovam proposta da Campanha Salarial

Negociação continua diretamente com as fábricas para buscar proposta que corresponda à realidade de cada empresa

Os trabalhadores metalúrgicos de Pindamonhangaba aprovaram por unanimidade nessa sexta-feira, dia 25, a proposta da Campanha Salarial 2019.

O reajuste será de 3,8%, sendo 3,28% de reposição da inflação pelo INPC mais 0,5% de aumento real. A Convenção Coletiva de Trabalho, que assegura direitos específicos dos metalúrgicos, foi renovada por mais um ano, até 31 de agosto de 2020.

Essas são condições conquistadas em todos os grupos que envolvem as fábricas de Pinda, ou seja, valem para todos os cerca de 7.000 trabalhadores da categoria na cidade.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Herivelto Vela, as negociações que estão em andamento nas fábricas vão continuar.

“A adesão dos trabalhadores em todas as mobilizações ao longo desse período foi muito importante. Conseguimos manter os direitos dos trabalhadores e agora temos um reajuste garantido pra toda a categoria, mas as negociações ainda não acabaram. Estamos reivindicando com a Confab, Gerdau, Novelis e outras empresas para buscar algo a mais, para alcançar uma proposta que corresponda a realidade de produção de cada empresa”, disse Herivelto Vela.

Marcelo Pepeo, Maria Auxiliadora, Herivelto Vela, André Oliveira e Luciano Tremembé

FEM-CUT/SP

O presidente da FEM/CUT (Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT), Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, ressaltou a importância da renovação da Convenção Coletiva.

“Nesse momento de ataques aos direitos, na proposta de governo de carteira verde e amarela, desemprego alto e reforma Trabalhista, só a Convenção Coletiva para garantir a proteção aos direitos dos trabalhadores”, afirmou.

Sindicel

Todos os grupos patronais já alcançaram a proposta citada acima. A única diferença está no Sindicel, patronal que representa o setor de alumínio, como a Novelis e Latasa, no qual a proposta é de 2 anos.

Para o ano que vem, já está garantido o reajuste do INPC, mais 0,5% de aumento real. E a Convenção Coletiva de Trabalho, que já tinha sido assinada ano passado com validade até 2020, será estendida até 2021.

Reunião com o Sindicel sediada em Pinda; ao centro, o presidente da FEM-CUT/SP, Luiz Carlos Dias – Luizão, negocia com o representante patronal

Veja abaixo a relação de algumas fábricas e como elas se dividem nos grupos patronais:

GRUPO 8.2 – SICETEL E SIESCOMET

Gerdau, GV do Brasil, Incomisa, Martifer, Novametal

GRUPO 2 – SINDIMAQ E SINAEES

Confab Tubos, Confab Equipamentos, DBTec, Oversound

GRUPO 8.3 – SINAFER, SIMEFRE E SIAMFESP

Elfer, Suvifer

SINDRATAR

Bundy

GRUPO 3 – SINDIPEÇAS, SINDIFORJA E SINPA

Bontaz, Koide, R2A do Brasil