Metalúrgicos da CUT conquistam isenção do imposto de renda sobre a PLR

Vicentinho do PT, junto a Mamão e Romeu, durante visita a Pinda; deputado federal fez Projeto de Lei pedindo a isenção do IR na PLR

Vicentinho do PT, junto a Mamão e Romeu, durante visita a Pinda; deputado federal fez Projeto de Lei pedindo a isenção do IR na PLR

Entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2013 a medida provisória que garante a isenção do pagamento do Imposto de Renda sobre a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) até R$ 6.000,00 e tributação progressiva para valores maiores.


A alíquota para os recebimentos entre R$ 6 mil e R$ 9 mil foi fixada em 7,5%. Na faixa de R$ 9 mil a R$ 12 mil, a alíquota é de 15%, e de 22,5% para os ganhos entre R$ 12 mil e R$ 15 mil.
Acima deste valor, continua a valer a regra atual, com um imposto equivalente a 27,5% do total.
A presidenta Dilma Rousseff oficializou a medida no dia 24 de dezembro, quando também anunciou um reajuste de 9% ao salário mínimo, acima do valor fixado pela proposta orçamentária em tramitação no Congresso.

Veja abaixo tabela com simulação da alíquota do imposto:

Tabela_IR

Classe trabalhadora comemora conquista

A notícia da isenção do imposto de renda na PLR foi muito comemorada pela categoria metalúrgica e também por vários outros ramos de trabalho.
A medida está prevista em emenda à Medida Provisória 556, de autoria do deputado federal Vicentinho (PT-SP), que também apresentou Projeto de Lei reivindicando a isenção.
Em março de 2012, cerca de 20 mil metalúrgicos da CUT ocuparam a rodovia Anchieta e milhares de bancários retardaram a abertura das agências na capital paulista para reivindicar o fim da cobrança.
Um abaixo-assinado com 220 mil assinaturas também foi feito pela CUT em dezembro de 2011.