Metalúrgicos ameaçam greve por PR na Tecpar

Com todas as metas atingidas, categoria protesta decisão da empresa de cancelar pagamento da PR sem dar explicações

Assembleia aprovou entrega do comunicado de greve

Assembleia aprovou entrega do comunicado de greve

Os trabalhadores da Tecpar aprovaram em assembleia nessa quinta-feira, dia 24, a entrega de um comunicado de greve pelo pagamento da PR (Participação nos Resultados), uma das modalidades de PLR.

Na última reunião com o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT a direção da empresa afirmou que não irá pagar a PR.

Para o dirigente sindical Gerilson Vieira – Dê a empresa tem condições de fazer o pagamento. “Todas as metas foram atingidas. A empresa sequer apresenta argumentos para não pagar. Só diz que não vai. Os trabalhadores não vão aceitar isso”, disse.

O sindicato também tenta negociar com a fábrica uma proposta de renovação do acordo para pagamento do adicional de revezamento de turno, que é pago durante períodos de campanha do forno.

Segundo o secretário geral, Herivelto Moraes – Vela, ano passado o sindicato conseguiu um acordo com a garantia desse adicional por seis meses. “Fazer com que a empresa abra negociação sobre isso também tem sido reivindicado pelos trabalhadores.”

A Tecpar emprega cerca de 100 trabalhadores no desenvolvimento do ferro gusa, principal matéria-prima do aço. A fábrica fica instalada nas dependências da Gerdau.

Vela e o companheiro Gerilson - Dê conversam com trabalhadores sobre o andamento da negociação

Vela e o companheiro Gerilson – Dê conversam com trabalhadores sobre o andamento da negociação