Justiça determina a 5ª reintegração na Tenaris Confab em apenas um ano

Celso, da Confab Equipamentos, havia sido demitido aos 59 anos, com problema de audição, antes de aposentar, e não ‘abaixou a cabeça’

Ronaldo Cardoso – Pit Bull, o advogado Alison Montoani, Celso e Vicente Caetano - Serrinha

Ronaldo Cardoso – Pit Bull, o advogado Alison Montoani, Celso e Vicente Caetano – Serrinha

A Justiça do Trabalhou determinou mais uma reintegração na Tenaris Confab. Um funcionário da unidade Confab Equipamentos foi reintegrado nessa quinta-feira, dia 23. Em um ano, essa foi a quinta reintegração por ações movidas pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba apenas na Tenaris Confab.

Celso Antonio dos Santos, 61 anos, era maçariqueiro na área do corte quando teve perda auditiva. “Por muito tempo, lá atrás em 1998, a Confab oferecia pouco EPI (Equipamento de Proteção Individual). Você pegava um protetor de ouvido hoje e podia pegar outro só semana que vem. Tinha que ficar lavando. A perneira quando queimava também tinha que esperar”, disse Celso.

Em 2002, quando comprovou a surdez, Celso conseguiu ser transferido para uma função compatível, no setor de reciclagem, longe de área de corte. Apesar da estabilidade de emprego garantida por lei, em 2015 ele foi demitido, aos 59 anos, antes de conseguir aposentar. “Fiquei triste porque contribui por 18 anos quando estava bom. Quanta hora-extra eu tive que fazer. Só me falaram: Vai procurar seus direitos lá fora.”

Hoje reintegrado, Celso se diz aliviado. “Senti firmeza do sindicato, em nenhum momento me desprezaram. Falaram que era direito meu e assim eu nunca abaixei a cabeça.”

Em um ano, essa foi a 5ª reintegração apenas na Tenaris Confab. As outras quatro foram na Confab Tubos, de José Francisco de Oliveira, Eduardo Bernardes, Jailsom Miguel e João Batista Escossia.

Baixar vídeo Entrevista