Há anos reivindicada, paralisação na Tecn-Serv conquista correção da PLR

Mais uma vez, todos os trabalhadores pararam na porta da fábrica nessa sexta-feira para ouvir o sindicato

Mais uma vez, todos os trabalhadores pararam na porta da fábrica nessa sexta-feira para ouvir o sindicato

Os trabalhadores da Tecn-Serv aprovaram nessa sexta-feira, dia 5, a proposta de correção da PLR (Participação nos Lucros e Resultados), há anos reivindicada e alcançada após paralisação. A empresa cancelou o acordo vigente e acatou a exigência de uma proposta melhor.

Uma paralisação de uma hora foi realizada na terça-feira, dia 2, quando também foi entregue um comunicado de greve à direção da empresa. Além de pressionar as bancadas patronais a retomar as negociações da Campanha Salarial, a pauta de reivindicações apresentada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT exigia mudanças no sistema de PLR.

Até então, os trabalhadores recebiam a PLR como dias de folga durante o ano. “Além de representar um valor muito baixo, ainda dava diferença na contagem dos dias e tinha trabalhador que ficava prejudicado. Um problema antigo que conseguimos corrigir”, disse o dirigente sindical na Tecn-Serv, Carlos Cabral, o “Carlão”.

Ao microfone, o dirigente sindical na Tecn-Serv Carlos Cabral, o Carlão

Ao microfone, o dirigente sindical na Tecn-Serv Carlos Cabral, o Carlão

A empresa se comprometeu a pagar em 2015 a PLR de um salário da categoria. Também passará a dar folga remunerada durante a semana ao trabalhador que fizer hora-extra no domingo, conforme determinação a legislação.

Ainda segundo Carlão, a negociação entre sindicato e empresa deverá mudar. “O patrão viu que o trabalhador está mobilizado e isso terá peso nas próximas negociações. Continuaremos cobrando as demais melhorias da pauta, como refeição e o plano médico”, disse Carlão.

Acordo refeito. O secretário geral do sindicato, Herivelto Moraes – “Vela”, ressaltou o fato de um acordo já em andamento ter sido cancelado. “Essa forma de PLR já era tradição da fábrica, tanto que o sindicato já havia feito um acordo. Mas se há consenso entre as partes, esse acordo pode sim ser cancelado e refeito. O importante é sempre prevalecer a melhor condição para o trabalhador”, disse.

05.09.14 Tecn-Serv.Assembleia que aprovou proposta de correção da PLR_1164_1