Greve garante reajuste salarial na Harsco

Proposta, que aguardava confirmação da matriz, nos EUA, foi aprovada nessa sexta

Trabalhadores perto da portaria da Gerdau durante greve que ocorreu no dia 19

Trabalhadores perto da portaria da Gerdau durante greve que ocorreu no dia 19

Com um dia de greve os trabalhadores da Harsco conseguiram o reajuste da Campanha Salarial. A proposta que contempla o índice da inflação, de 9,62%, foi aprovada em assembleia nessa sexta-feira, dia 28.

Segundo o dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, Valdir Augusto, os trabalhadores receberão o reajuste de 7% na próxima folha de pagamento e mais 2,62% em janeiro. O dia parado não será descontado.

“Antes da greve não havia reajuste nenhum. Parabéns aos trabalhadores”, disse Valdir.

A Harsco tem 26 funcionários que atuam dentro da Gerdau na recuperação de materiais para parte de seu processo de fundição do aço. Ela pertence ao Grupo 8, cuja bancada patronal ainda não aceitou pagar a inflação nas negociações na Fiesp.

A greve ocorreu na quarta-feira, dia 19. No dia seguinte, os funcionários entraram ao trabalho com o compromisso da empresa em pagar o reajuste, mas ainda faltava a confirmação da matriz, nos EUA (Estados Unidos da América).

O dirigente sindical na Harsco, Valdir Augusto

O dirigente sindical na Harsco, Valdir Augusto