Funcionários da Aliança Papéis reivindicam o direito de trabalhar

Lacramento da Nobrecel coloca em risco emprego de cerca de 300 famílias

Funcionários paralisaram as duas vias em frente ao Fórum com faixas pedindo liberação para trabalhar

Funcionários paralisaram as duas vias em frente ao Fórum com faixas pedindo liberação para trabalhar

 

Um grupo de mais 200 trabalhadores da Aliança Papéis (APL), junto a funcionários da Jofel e ex-funcionários da Nobrecel, realizaram um protesto em frente ao Fórum de Pindamonhangaba nessa segunda-feira, dia 12. O ato, que teve início às 13h e paralisou as duas vias no local, durou mais de três horas. Novo protesto irá ocorrer nesta terça.

Os trabalhadores protestam contra o lacramento da Nobrecel, ocorrido dia 26 de julho, por ordem da Justiça. Apesar da Nobrecel estar em processo de falência, ainda estava em atividade e pagando os salários dos trabalhadores.

A Aliança Papéis, empresa terceirizada que também arrendou uma das máquinas da Nobrecel e tem contrato para operar essa máquina por mais 18 anos, está regular, mas sua entrada só é possível pela Nobrecel.

A Jofel, outra terceira, tem entrada independente, mas está sem energia elétrica devido ao lacramento da Nobrecel.

“Não existe motivo pra não funcionar a fábrica. A cada dia que passa, e já se foram 12, os prejuízos vão aumentando e o maquinário, forno, e matéria-prima vão se deteriorando”, disse Lucas Kobbaz, um dos funcionários da Aliança Papéis.

Sindicalistas Vela e Valdir junto a funcionários Aliança Papéis

Sindicalistas Vela e Valdir junto a funcionários Aliança Papéis

De acordo com o secretário de Política Sindical do Sindicato dos Metalúrgicos de Pinda, Valdir Augusto, a reivindicação dos trabalhadores é que a Justiça libere o funcionamento da fábrica, para que a discussão se a Nobrecel será operada pela APL ou por uma cooperativa de funcionários se dê com a produção em andamento. Uma comissão de trabalhadores também foi organizada.

Para o secretário geral do sindicato, Herivelto Moraes – “Vela”, os trabalhadores cobram apenas o direito de trabalhar. “A APL e a Jofel são independentes. Há serviços que são relacionados, mas eles não podem ser punidos pela má administração da Nobrecel”, disse.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT está oferecendo apoio ao movimento com logística e caminhão de som, para que os trabalhadores possam se manifestar.

O sindicato da categoria é o Sindicato dos Papeleiros de Pindamonhangaba.

Um novo protesto irá ocorrer no mesmo local e horário nesta terça-feira. A revogação do lacre depende de decisão da juíza Rita de Cássia Spasini.

 

Protesto cobra decisão da juíza Rita de Cássia Spasini

Protesto cobra decisão da juíza Rita de Cássia Spasini

Conflito. Durante o protesto. O condutor de um veículo que quis enfrentar a paralisação entrou pelo acostamento, subiu no gramado, e já com o carro parado e rodeado de pessoas, inclusive famílias com crianças, lançou seu veículo sobre os trabalhadores, tentando atropelá-los.