Encontro internacional da rede sindical da Gerdau discute responsabilidade social

Os dirigentes sindicais da Gerdau de Pinda Márcio Fernandes - Marcinho, Benedito Irineu e José Carlos junto a sindicalistas da rede Gerdau no Peru, Colômbia, Chile, Argentina, Estados Unidos e Canadá, além de diversas cidades do Brasil, na sede da CNM-CUT, em São Bernardo do Campo (Crédito Divulgação)

Os dirigentes sindicais da Gerdau de Pinda Márcio Fernandes – Marcinho, Benedito Irineu e José Carlos junto a sindicalistas da rede Gerdau no Peru, Colômbia, Chile, Argentina, Estados Unidos e Canadá, além de diversas cidades do Brasil, na sede da CNM-CUT, em São Bernardo do Campo (Crédito Divulgação)

Teve início nesta quarta-feira (21) encontro internacional da rede de trabalhadores na Gerdau. A atividade, que prossegue até sexta-feira (23), reúne representantes de diversos países na sede da Confederação Nacional de Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), em São Bernardo do Campo (SP), para intercâmbio de informações e experiências sobre organização e ação sindical, com o objetivo de fortalecer a rede sindical de trabalhadores na empresa. O tema deste encontro é responsabilidade social.

Participam do encontro trabalhadores nas plantas do Peru, Colômbia, Chile, Argentina, Estados Unidos e Canadá, além de diversas cidades do Brasil, como Sorocaba (SP), Pindamonhangaba (SP), São Leopoldo (RS), Simões Filho (BA), Rio de Janeiro, São Paulo, Guarulhos (SP), Osasco (SP) e Ouro Branco (MG), além de representantes da CNM/CUT e da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM).

Encontro internacional da rede sindical da Gerdau em 22 de agosto (Crédito Yolanda Moretto-CNM)

Encontro internacional da rede sindical da Gerdau em 22 de agosto (Crédito Yolanda Moretto-CNM)

Para o secretário de Organização da CNM/CUT, Ubirajara Freitas, o foco do encontro é discutir a responsabilidade social da empresa do ponto de vista do trabalhador. “Estamos discutindo se o que a empresa faz é responsabilidade social ou apenas marketing”, comentou ele. “O desafio principal para o trabalhador é compreender o que de fato é responsabilidade social. A partir daí, é possível formular propostas de uma perspectiva dos trabalhadores, interferindo dentro das organizações sobre os compromissos de responsabilidade social”.

O presidente da CNM/CUT, Paulo Cayres, destacou a importância das redes sindicais para a consolidação da organização no local de trabalho e a luta por igualdade de direitos para trabalhadores de plantas distintas de uma mesma empresa. “Por isso, a nossa Confederação tem um trabalho forte com as redes sindicais e investe para que elas sejam ampliadas para unificar as demandas da categoria em todo o país”, assinalou.

O secretário geral e de Relações Internacionais da Confederação, João Cayres, por sua vez, reafirmou que as redes sindicais são mecanismos importantes para a prática da solidariedade de classe.

(Fonte: Portal CNM/CUT – Yolanda Moretto – assessoria de imprensa)