Eleição sindical em Pinda: A democracia é mais importante

Candidatos da oposição tiveram ampla oportunidade de fiscalizar e discutir o andamento dos trabalhos, como o roteiro das urnas, por exemplo

Candidatos da situação e da oposição, pouco antes da saída das urnas para as fábricas (foto José Alfredo)

Candidatos da situação e da oposição, pouco antes da saída das urnas para as fábricas (foto José Alfredo)

“A entidade é maior do que seus integrantes”. É assim que Renato Mamão fala da importância de qualquer direção sindical manter uma postura democrática.

O atual presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT também preside, conforme estatuto, a Comissão Eleitoral no pleito que ocorre nesses dias 9, 10 e 11.

A equipe que hoje está à frente do sindicato é a mesma que conseguiu restabelecer o processo democrático na entidade em 2009, após 18 meses de uma das eleições sindicais mais conturbadas da região.

Na foto em destaque, pouco antes da saída das urnas para as fábricas, estão candidatos de situação e também de oposição, que tiveram ampla oportunidade não apenas de fiscalizar, mas também de participar da discussão do andamento dos trabalhos, como o roteiro das urnas, por exemplo. Tudo conforme o estatuto.

Além dessa postura transparente, Mamão também ressalta outros dois pontos desta eleição.

“Um é que as condições da eleição, prazos, onde vai ter comitê de base, são decididas junto com a categoria, em assembleia. Outro ponto é que nesse sistema de Comitê Sindical de Empresa, o candidato tem que ganhar na sua fábrica, não pode pegar carona na votação das outras. Fortalece a democracia e a organização no local de trabalho”, disse.