Com recorde de produção, Novelis evita discutir aumento de salário

Categoria cobra proposta de acordo com a realidade da fábrica (foto Marcelo - Pepeo)

Categoria cobra proposta de acordo com a realidade da fábrica (foto Marcelo – Pepeo)

Os trabalhadores da Novelis fizeram uma paralisação nessa sexta-feira, dia 9, pela Campanha Salarial. O atraso de turno foi feito para pressionar a direção da fábrica a discutir o aumento salarial na unidade.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba-CUT chegou a ter reuniões com a empresa, mas ela está relutante em discutir salário enquanto não ocorrer o encerramento por completo da negociação entre a bancada patronal do Grupo 8 e a FEM-CUT/SP.

Até o momento, a bancada patronal do Grupo 8 aceitou pagar o reajuste da inflação, de 9,88%, de forma parcelada.

Segundo o secretário de Finanças do sindicato, Sérgio da Silva, dirigente sindical na Novelis, a fábrica tem boa demanda de produção.

“A previsão que a fábrica tem é de continuar batendo recorde de produção. Falar de crise aqui não tem o menor cabimento. Não adianta ficar evitando negociar agora pra ganhar tempo. Os trabalhadores exigem uma proposta justa para a realidade da fábrica”, disse.

A Novelis emprega cerca de 1.100 trabalhadores na produção de chapas de alumínio.

Ao microfone, o dirigente Sérgio da Silva, secretário de Finanças do sindicato (foto Marcelo - Pepeo)

Ao microfone, o dirigente Sérgio da Silva, secretário de Finanças do sindicato (foto Marcelo – Pepeo)