Câmara aprova Reforma Trabalhista, que segue agora para o Senado

Votação potencializa Greve Geral contra retirada de direitos

Segurando um caixão escrito CLT, está o deputado federal e metalúrgico Vicentinho, que votou contra a proposta (foto Luciana Waclawovsky)

Segurando um caixão escrito CLT, está o deputado federal e metalúrgico Vicentinho, que votou contra a proposta (foto Luciana Waclawovsky)

Por 296 votos a favor e 177 contra, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei que decreta o fim da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) na noite desta quarta-feira, dia 24.

A partir de agora o PL 6787/16 seguirá para apreciação do Senado Federal, que poderá acabar de vez com uma conquista de mais de 60 anos de lutas da classe trabalhadora.

As últimas manobras da base parlamentar governista, que culminaram na extinção dos direitos da classe trabalhadora, incentivam ainda mais a Greve Geral desta sexta-feira, dia 28, que já conta com a adesão de todos os ramos e categorias da Central Única dos Trabalhadores.

Ouça entrevista do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, Herivelto Vela, à rádio Princesa FM, sobre essa votação e sobre a Greve Geral:

 

Deputados da Região

A orientação dos movimentos sindicais é dar continuidade às ações de denúncia dos deputados e deputadas que foram favoráveis a esse “verdadeiro massacre” junto às suas bases eleitorais nos municípios de seus estados.

Entre os deputados federais do Vale do Paraíba, Pollyana Gama (PPS), Eduardo Cury (PSDB) e Marcio Alvino (PR) votaram contra o trabalhador, aprovaram a reforma que destrói a CLT. Apenas o deputado Flavinho (PSB) votou contra a reforma.

Confira aqui como votaram todos os deputados.

Fonte: Com informações da CUT Nacional.