Assembleia na Harsco aprova proposta para preservar empregos

Medida inclui alteração de jornada e suspensão de contrato

Os trabalhadores da Harsco aprovaram em assembleia on-line nessa quinta-feira, dia 7, uma proposta para preservação de empregos. O índice de aprovação foi de 96%. Não foram registrados votos de abstenção nem nulos.

A proposta altera a escala de trabalho de todos os trabalhadores, tanto produção quanto administrativo.

Também será aplicada a Medida Provisória 936, com a suspensão do contrato de trabalho. No caso da Harsco, será pago o Benefício Emergencial do governo e uma ajuda compensatória da empresa, de 30% do salário, conforme estabelecido na MP.

O dirigente sindical na Harsco, Valdir Augusto

De acordo com o dirigente sindical Valdir Augusto, inicialmente a MP será aplicada apenas para trabalhadores do grupo de risco, mas poderá ser ampliada.

“A empresa afirmou para o sindicato que, pela faixa de salário da fábrica, o Benefício Emergencial e a ajuda compensatória serão suficientes para compor os salários dos funcionários, ou seja, não haverá redução de salário”, disse Valdir.

Pela proposta, cada funcionário pode entrar no programa pelo prazo de 60 dias. Assim como na Gerdau, também será feito o congelamento dos descontos de convênio médico.