Após retomada, trabalhadores da Oversound vão ter PLR novamente

Categoria reprovou proposta da empresa para o banco de horas

Assembleia que aprovou PLR

Assembleia que aprovou PLR

Os trabalhadores da Oversound aprovaram nessa sexta-feira, dia 15, a proposta de pagamento da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) e reprovaram a proposta de banco de horas.

Em julho de 2016, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba negociou um acordo de redução de jornada para evitar demissões na fábrica. A produção melhorou e o programa terminou em outubro, três meses antes do previsto.

Para Célio da Silva – Celinho, o valor de R$ 300 da PLR não é o ideal, mas representa um avanço. “A empresa não queria dar nada. Ela já está com demanda de produção e continua falando como se tivesse no auge da crise. Felizmente, voltou a ter PLR e vamos continuar avançando. Precisamos instalar uma comissão de PLR”, disse Celinho.

Ao microfone, o dirigente sindical Célio da Silva - Celinho

Ao microfone, o dirigente sindical Célio da Silva – Celinho

Já a proposta de banco de horas não foi aprovada pela categoria. “O sindicato colocou algumas condições para a empresa, ela aceitou e fizemos a assembleia. Os trabalhadores sabem como está a produção no chão de fábrica e reprovaram”, completou Celinho.

A Oversound emprega cerca de 40 trabalhadores na fabricação de alto-falantes no bairro do Feital. A empresa integra o Grupo 2 (Máquinas e Eletrônicos).

Quem reprovou banco de horas

Quem reprovou banco de horas