Após redução, Oversound retoma jornada, salários e mantém garantia de emprego

Esforço do sindicato na negociação em julho foi importante para encontrar alternativa para as demissões

Em julho, assembleia aprovou medida alternativa para evitar demissões

Em julho, assembleia aprovou medida alternativa para evitar demissões

Nesta sexta-feira, dia 7, os trabalhadores da Oversound retornam à jornada normal. Uma proposta de work-sharing, semelhante ao PPE (Programa de Proteção ao Emprego), havia sido aprovada em assembleia no dia 22 de julho. Houve redução de jornadas e salários em 15%, com folgas às sextas-feiras, mas com garantia de emprego por seis meses.

A empresa decidiu retomar jornada e salário normais a partir de 1º de outubro em função da demanda de produção, mas a garantia de emprego irá permanecer até 31 de janeiro de 2017.

Na época da negociação para evitar demissões, em julho, a primeira proposta da empresa era aplicar o corte da refeição e do plano de saúde, medidas que foram reprovadas pelo sindicato, segundo o dirigente sindical Célio da Silva – Celinho.

“Mesmo com toda a dificuldade, pois na época a empresa não conseguia se enquadrar no lay-off nem no PPE, conseguimos uma alternativa para preservar empregos e deu certo. A produção melhorou e a garantia de emprego vai permanecer. É resultado do esforço do sindicato na negociação e da mobilização da dos trabalhadores”, disse Celinho.

A Oversound emprega cerca de 40 trabalhadores na fabricação de alto-falantes no bairro do Feital. A empresa integra o Grupo 2 (Máquinas e Eletrônicos).

Ao centro, o dirigente sindical Célio da Silva - Celinho

Ao centro, o dirigente sindical Célio da Silva – Celinho