Após greve, trabalhadores da GV aprovam proposta de plano médico

Plano entrará em vigor dia 1º de novembro e terá atendimento de emergência em Pinda

Assembleia aprovou proposta que resultou da greve de dois dias realizada em setembro

Assembleia aprovou proposta que resultou da greve de dois dias realizada em setembro

Os trabalhadores da GV do Brasil aprovaram por unanimidade na manhã dessa sexta-feira, dia 14, a proposta de convênio médico que resultou da greve de dois dias realizada em setembro.

O plano de saúde que será implantado é da operadora São Camilo. Para o funcionário, o custo será de 20% do valor do plano e para seus dependentes de 25%.

Durante um mês após a greve, o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba esteve analisando propostas das operadoras e negociando com a direção da fábrica.

Ao microfone, o dirigente sindical na GV, Paceli Alves

Ao microfone, o dirigente sindical na GV, Paceli Alves

Segundo o dirigente sindical Paceli Alves o plano de saúde representa um avanço para a categoria. “Ainda tivemos dificuldade para marcar reunião com a gerência, mas conseguimos a proposta. É o plano mais barato e que tem atendimento de urgência e emergência em Pinda. A São Camilo também afirma que irá fazer uma série de credenciamentos na cidade. Agora vamos acompanhar a implantação e o atendimento que os trabalhadores vão receber”, disse Paceli.

O presidente do sindicato, Herivelto Vela, lembrou a dificuldade que os trabalhadores da Gerdau passaram no período em que ficaram sem de atendimento de urgência e emergência em Pinda. “Na época conversamos com a fábrica, com a Saúde Bradesco, com a Santa Casa, mas não foi possível retomar o atendimento e acabou que o plano foi trocado.”

Uma assembleia também será feita com o turno da tarde. O contrato com a São Camilo será de um ano. Até o fim do mês será feito o cadastramento dos funcionários no plano, que irá vigorar em 1º de novembro.

Durante a assembleia, também foi falado sobre a Campanha Salarial, principalmente no Grupo 8, que ainda não aceitou pagar o reajuste da inflação.

A siderúrgica GV do Brasil faz parte do Grupo Simec e emprega 300 trabalhadores na fabricação de produtos de aço para a construção civil.