Após audiência judicial, assembleia aprova PLR na Bundy

Proposta sugerida pela Justiça foi melhor do que aquela que a empresa queria aplicar e a categoria reprovou em junho

Assembleia aprovou proposta que irá injetar cerca de meio milhão de reais na economia em agosto

Assembleia aprovou proposta que irá injetar cerca de meio milhão de reais na economia em agosto

Os trabalhadores da Bundy aprovaram nessa segunda-feira, dia 20, a proposta de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) que resultou de uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho, em Campinas, no dia 14.

A proposta inicial da empresa foi reprovada pela categoria em junho. A direção da Bundy não quis dar continuidade na negociação e encaminhou o caso para a Justiça do Trabalho.

A proposta sugerida pela Justiça não determinou um mínimo garantido como a PLR negociada no ano passado, mas aumentou o valor da primeira parcela, que será paga para no dia 3 de agosto, quando cerca de meio milhão de reais será injetado na economia do município. A segunda parcela, com metas, será paga em janeiro de 2016.

“Ainda não foi o ideal, mas foi um avanço na negociação. O discurso de crise não colou e a empresa não conseguiu enfiar a proposta goela abaixo como queria fazer. Não adiantou ficar protelando as reuniões e depois pressionar para decidirmos a toque de caixa. A comissão de PLR foi firme, tanto que acabou indo pra Justiça, e a PLR só foi definida quando a categoria aprovou em assembleia. Prevaleceu a vontade do trabalhador”, disse o dirigente sindical José Ivanez – Gato.

Ao microfone, o dirigente sindical José Ivanez - Gato

Ao microfone, o dirigente sindical José Ivanez – Gato