ABC: Em ato na via Anchieta, 20 mil metalúrgicos aprovam pautas de luta

A manifestação foi realizada em defesa do emprego e do crescimento econômico e em protesto pelas mais de 800 demissões anunciadas pela Volks e 244 pela Mercedes-Benz

Mais de 20 mil metalúrgicos participaram do ato contra as demissões (Crédito: Adonis Guerra)

Mais de 20 mil metalúrgicos participaram do ato contra as demissões (Crédito: Adonis Guerra)

Em defesa do emprego e crescimento econômico do País, cerca de 20 mil metalúrgicos da Volks, Mercedes, Ford e Karmman Ghia, em São Bernardo do Campo, ocuparam a Via Anchieta nos sentidos São Paulo e Santos na manhã dessa segunda-feira, dia 12. O ato, organizado pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, foi realizado em defesa do emprego e do crescimento econômico e em protesto pelas mais de 800 demissões anunciadas pela Volks e 244 pela Mercedes-Benz.

O encontro de todos os trabalhadores aconteceu no Centro de Formação dos Profissionais da Educação, o Cenforpe, na altura do km 21 da Via Anchieta. O clima do protesto foi tranquilo e, inclusive, contou com o apoio de famílias dos trabalhadores.

Durante o ato, os trabalhadores aprovaram por unanimidade as pautas de reivindicações aos governos federal e estadual (tópicos abaixo). A pauta ao governo estadual foi entregue ainda nessa segunda-feira ao secretário do Emprego e Relações do Trabalho, João Dado. A data de entrega da pauta ao governo federal será definida.

“Uma ação como essa e as demonstrações de solidariedade dos metalúrgicos do ABC, da CUT e demais entidades dão firmeza aos trabalhadores de continuar acreditando que a reversão das demissões é possível”, afirmou o presidente do Sindicato, Rafael Marques.

O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, esteve na caminhada e garantiu que a Prefeitura está à disposição para auxiliar nos diálogos entre Sindicato, empresas e governos estadual e federal.

Greve – Os 13 mil trabalhadores na Volks estão em greve por tempo indeterminado desde terça-feira, dia 6. O objetivo é reverter as 800 demissões de trabalhadores e abrir negociações com a empresa.

Os trabalhadores na Volks souberam da demissão por meio de telegramas recebidos às vésperas do final do ano passado. A correspondência orientava para que eles não retornassem aos seus postos de trabalho após o fim das férias coletivas, o que aconteceu no dia 6 de janeiro. Com a demissão, a empresa rompe o acordo coletivo firmado com o Sindicato em 2012, que prevê, entre outros itens, a estabilidade no emprego até 2016.

Além deles, a ameaça de demissão existe para outros 1.300 trabalhadores, já que a montadora anunciou publicamente sua avaliação de que existem 2.100 excedentes na fábrica do ABC.

Na Mercedes, 244 trabalhadores dos 1015 que entraram em layoff no ano passado não tiveram o contrato renovado, descumprindo o que havia sido acordado com o Sindicato.

Pautas de luta dos metalúrgicos do ABC

Ao governo estadual

1) Criação do Conselho Estadual de Política Industrial

2) Código de Conduta Social

3) Programa de revitalização de áreas industriais

4) Programa de Adensamento da Cadeia Produtiva Automotiva

5) Programa de Estímulo à Produção de Carros Elétricos

6) Câmara de Negociação e Mediação de Conflito

7) Combate à Guerra Fiscal

Ao governo federal

1) Programa Nacional de Proteção ao Emprego

2) Programa Nacional de Renovação de Frota de Caminhões

3) Ampliação das liberações de crédito na economia, principalmente para a aquisição de veículos

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, via Portal FEM-CUT/SP